Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo do erro de medida da paquimetria ultrassônica, de córneas de cadáveres, em câmaras artificial e úmida (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: GONÇALVES, DANIELA SAMPAIO SILVA - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Subjects: ULTRASSOM; CÓRNEA (MEDIDAS); ERRO
  • Language: Português
  • Abstract: Objetivo: A última década tem testemunhado um renovado interesse no estudo de córneas de cadáveres com o intuito de aperfeiçoar as cirurgias de córnea. Em harmonia com essa tendência, o objetivo do presente estudo é avaliar o erro da paquimetria ultrassônica de córneas de cadáver preservadas em câmara úmida e em Optisol GS, por meio da determinação do coeficiente de repetibilidade do método. Material e Método: Mediu-se a espessura central de 450 córneas de cadáveres com o paquímetro Sonomed PacScan 300AP, divididas em dois grupos: 330 globos oculares preservados em câmara úmida por até cinco dias e 120 córneas preservadas em Optisol GS por até 15 dias. Dos 330 globos oculares, 31 foram descartados do estudo, restando 299, que foram divididos em dois subgrupos: 151 olhos direitos e 148 esquerdos. Das 120 córneas, 12 foram descartadas, restando 108 para estudo. Cada córnea foi medida duas vezes com intervalo de 10 segundos por um único operador, sem o conhecimento dos resultados e sem a possibilidade de correção. No primeiro grupo, as córneas eram medidas "in situ" dentro da câmara úmida; no segundo, montadas em uma câmara artificial, sob pressão controlada de 25 mmHg. O coeficiente de repetibilidade (CR) foi determinado segundo o método de Bland & Altman com a fórmula CR = 1,96.√(2.) sw ; o erro padrão do CR com a fórmula SE = (1,96 sw)/√((N-1)) e o intervalo de confiança (IC) de 95% do CR, com a fórmula CR ±1,98(SE). Resultados: Os coeficientes de repetibilidade dos globos oculares, tanto direitos como esquerdos, foram idênticos, ou seja, de 39 µm. O mesmo coeficiente para as córneas preservadas em meio líquido foi de 44 µm. Ambos apresentaram correlação ínfima e não significativa com a espessura central. Conclusão: O erro aleatório das medidas paquimétricas ultrassônicas em globos oculares preservados em câmara úmida deve estar entre 35 e 45 µm e ocorrespondente das córneas preservadas em Optisol GS, entre 40 e 50 µm, com probabilidade de 95%. Ambos parecem não depender do valor da espessura da córnea
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.02.2015

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200066929Gonçalves, Daniela S. Silva
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GONÇALVES, Daniela Sampaio Silva; SOUSA, Sidney Julio de Faria e. Estudo do erro de medida da paquimetria ultrassônica, de córneas de cadáveres, em câmaras artificial e úmida. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015.
    • APA

      Gonçalves, D. S. S., & Sousa, S. J. de F. e. (2015). Estudo do erro de medida da paquimetria ultrassônica, de córneas de cadáveres, em câmaras artificial e úmida. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Gonçalves DSS, Sousa SJ de F e. Estudo do erro de medida da paquimetria ultrassônica, de córneas de cadáveres, em câmaras artificial e úmida. 2015 ;
    • Vancouver

      Gonçalves DSS, Sousa SJ de F e. Estudo do erro de medida da paquimetria ultrassônica, de córneas de cadáveres, em câmaras artificial e úmida. 2015 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: