Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Eletromiografia de superfície e avaliação clínica da mímica facial em pacientes com paralisia facial periférica idiopática (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: WENCESLAU, LAIS GARCIA CAPEL - FM
  • USP Schools: FM
  • Sigla do Departamento: MFT
  • Subjects: FONOAUDIOLOGIA; ELETROMIOGRAFIA; PARALISIA FACIAL; ASSIMETRIA FACIAL
  • Keywords: Bell's palsy; Electromyography; Facial asymmetry; Facial palsy; Paralisia de Bell; Speech-Language and Hearing Science
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO: A paralisia facial periférica idiopática apresenta uma variabilidade clínica de sinais e sintomas que dificultam a realização de uma avaliação objetiva e precisa, com influência no estabelecimento de prognóstico. A eletromiografia de superfície é um exame não invasivo e indolor que permite o estudo da atividade elétrica muscular. Visando compreender quais os efeitos da paralisia facial na atividade elétrica muscular durante o tempo de instalação da doença, o objetivo deste estudo foi utilizar a eletromiografia de superfície para captar a resposta elétrica de músculos da face durante a avaliação clínica do sorriso e correlacionar as respostas musculares com o tempo de instalação da paralisia facial. MÉTODOS: Participaram 140 adultos divididos em três grupos: Grupo I - 35 participantes com paralisia facial periférica com instalação de até 3 meses; Grupo II - 35 participantes com paralisia facial periférica com instalação entre 3 a 6 meses; Grupo III - 70 controles saudáveis. Todos foram submetidos à avaliação que consistiu na aplicação de uma escala clínica para avaliação da mímica facial e da realização do exame de eletromiografia de superfície em região de músculos zigomático e risório. RESULTADOS: Há evidências que os grupos com paralisia facial, independentemente do tempo de início da doença, se diferenciaram significativamente do grupo de indivíduos saudáveis quanto a atividade muscular captada durante o repouso e no sorriso voluntário para ambas as regiões musculares testadas.Os grupos com paralisia facial não se diferenciaram significativamente quando considerada a ativação muscular para nenhuma das avaliações realizadas. O grupo com maior tempo de paralisia facial, apresentou ativação muscular mais assimétrica durante o sorriso voluntário se comparado aos demais grupos. A assimetria muscular foi mais evidente se considerado o funcionamento do músculo risório. CONCLUSÃO: A compatibilização da análise dos dados indica que a avaliação muscular da face por meio da eletromiografia de superfície é reprodutível e é capaz de diferenciar indivíduos com e sem comprometimento muscular
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.05.2015

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FM2709232-10W4.DB8^SP.USP^FM-1^W493el^2015
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      WENCESLAU, Lais Garcia Capel; ANDRADE, Claudia Regina Furquim de. Eletromiografia de superfície e avaliação clínica da mímica facial em pacientes com paralisia facial periférica idiopática. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.
    • APA

      Wenceslau, L. G. C., & Andrade, C. R. F. de. (2015). Eletromiografia de superfície e avaliação clínica da mímica facial em pacientes com paralisia facial periférica idiopática. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Wenceslau LGC, Andrade CRF de. Eletromiografia de superfície e avaliação clínica da mímica facial em pacientes com paralisia facial periférica idiopática. 2015 ;
    • Vancouver

      Wenceslau LGC, Andrade CRF de. Eletromiografia de superfície e avaliação clínica da mímica facial em pacientes com paralisia facial periférica idiopática. 2015 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: