Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Habilidades linguísticas de crianças pré e pós-transplante hepático (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: PAULA, ERICA MACEDO DE - FM
  • USP Schools: FM
  • Subjects: LINGUAGEM INFANTIL; DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM; TRANSTORNOS DA LINGUAGEM; TRANSTORNOS DA LINGUAGEM INFANTIL; TRANSPLANTE DE FÍGADO; TESTES DE MOTRICIDADE ORAL; CRIANÇAS
  • Keywords: Child; Child language; Desenvolvimento de linguagem; Language development; Language development disorders; Language tests; Liver transplantation; Transtornos do desenvolvimento da linguagem
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: A doença hepática crônica na infância aumenta o risco de deficit neurocognitivo e linguístico, que pode persistir mesmo após o transplante de fígado (TxH) bem-sucedido. O objetivo da pesquisa foi verificar se há atraso no desenvolvimento linguístico em crianças com idade entre 2 anos e 7 anos e 11 meses, pré TxH e pós TxH. Método: A casuística foi constituída por 76 crianças, sendo 31 pré TxH e 45 pós TxH. O grupo controle (GC) foi composto por 60 crianças. Para verificar as habilidades linguísticas, foi aplicado o Test of Early Language Development-TELD-3. Para complementar, foram coletados dados clínicos e socioeconômicos. Resultados: O desempenho das crianças na fila de espera do transplante foi significativamente inferior ao do GC (p < 0,001) e ao do grupo pós TxH (p < 0,001), com valores abaixo da média, de acordo com o TELD-3. O grupo pós TxH apresentou média inferior à do GC (p=0,031), entretanto, com valores na média, de acordo com o TELD-3. Na análise de regressão, para o pré TxH a idade apareceu como fator de risco (OR=1,075; p=0,050) e para o pós TxH, a renda mensal (OR = 0,999; p=0,055). Conclusões: Constatou-se atraso das habilidades gerais de linguagem em crianças pré TxH, sendo a idade o único fator de risco apontado para o atraso linguístico. Para o grupo pós TxH não foi observado atraso linguístico. Entretanto, o desempenho foi inferior ao do GC e o único fator de risco indicado foi a renda familiar mensal. É necessário que as crianças sejam acompanhadas por equipe multiprofissional no momento pré TxH e no pósTxH imediato, para minimizar os deficit linguísticos e otimizar seu desenvolvimento
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 01.06.2015
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FM2712077-10W4.DB8^SP.USP^FM-2^P346ha^2015
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PAULA, Erica Macedo de; LOPES, Debora Maria Befi. Habilidades linguísticas de crianças pré e pós-transplante hepático. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5170/tde-24082015-091529/ >.
    • APA

      Paula, E. M. de, & Lopes, D. M. B. (2015). Habilidades linguísticas de crianças pré e pós-transplante hepático. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5170/tde-24082015-091529/
    • NLM

      Paula EM de, Lopes DMB. Habilidades linguísticas de crianças pré e pós-transplante hepático [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5170/tde-24082015-091529/
    • Vancouver

      Paula EM de, Lopes DMB. Habilidades linguísticas de crianças pré e pós-transplante hepático [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5170/tde-24082015-091529/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: