Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

A suplementação fisiológica de ácidos graxos ômega-3 não contribui para o controle do estresse oxidativo, da inflamação e da dislipidemia em pacientes tratados por hemodiálise (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MATTOS, ANDRESA MARQUES DE - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Subjects: HEMODIÁLISE; ÁCIDOS GRAXOS OMEGA 3; ESTRESSE OXIDATIVO
  • Language: Português
  • Abstract: Por meio da modulação de função e estrutura das membranas celulares, bem como a síntese de mediadores lipídicos, os ácidos graxos ômega-3 (AGPI n-3) parecem ter efeitos promissores sobre o estresse oxidativo (EO), inflamação e dislipidemia, fatores de risco para desenvolvimento de doença cardiovascular nos pacientes em hemodiálise (HD), porém achados inconclusivos têm sido publicados. Recomenda-se para estes pacientes o consumo diário de 1,0 g de AGPI n-3 (ácido eicosapentanóico + ácido docosaexaenóico), todavia, deficiências séricas e de ingestão têm sido descritas. O objetivo deste trabalho foi verificar os efeitos da suplementação dessa dose fisiológica de AGPI n-3 no controle de marcadores de EO, inflamação e perfil lipídico de pacientes em HD. Trata-se de um estudo experimental controlado randomizado duplo-cego, no qual 43 pacientes foram suplementados diariamente com 2 cápsulas de AGPI n-3 (1,28 g) e 45 pacientes receberam a mesma quantidade de óleo de soja, por 12 semanas. Todos possuíam idade ≥18 anos e faziam HD há pelo menos 6 meses. Uma avaliação do estado nutricional, por meio de antropometria, impedância bioelétrica e recordatório alimentar, foi realizada inicialmente e após a suplementação, assim como a avaliação bioquímica, que incluiu exames de rotina, perfil lipídico, proteína C reativa, fator de necrose tumoral alfa, produtos proteicos de oxidação avançada (AOPP), isoprostanos, vitaminas C e E, capacidade antioxidante total (CAT) e ácidos graxos séricos. A adesão ao tratamento e efeitos adversos também foram avaliados. O modelo de regressão linear com efeitos mistos foi utilizado para comparação entre tempos e a comparação entre deltas foi realizada por meio do modelo de regressão linear. Os grupos estudados eram comparáveis em relação as característica basais analisadas. Nenhum efeito da suplementação com AGPI n-3 foi observado sobre o EO, inflamação e dislipidemia. Houveaumento nos níveis séricos de AGPI n-3 e melhora no equilíbrio n-6/ n-3 (10,1±4,1 para 5,2±2,7) no grupo suplementado com AGPI n-3, porém nenhuma alteração no estado nutricional foi observada. Um aumento na hemoglobina (11,0±1,9 para 12,0±2,4) e no hematócrito (33,3±5,8 para 35,5±7,2) foi verificado após a suplementação com AGPI n-3. A suplementação foi bem tolerada, todavia, no grupo que recebeu AGPI n-3 o sintoma “eructação” foi mais frequente (42% x 19% placebo). A suplementação de dose fisiológica de AGPI n-3, por um período de doze semanas, não foi suficiente para diminuir o risco de doença cardiovascular em pacientes tratados por HD, visto que não promoveu melhora nos parâmetros de EO, nos antioxidantes não-enzimáticos, na inflamação sistêmica e na dislipidemia. Esses resultados sugerem que o período de intervenção e/ou a dose suplementada necessários para alcançar efeitos cardioprotetores nos pacientes em HD podem ser maiores que os aplicados neste estudo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.04.2015

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200067266Mattos, Andresa Marques de
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MATTOS, Andresa Marques de; CHIARELLO, Paula Garcia. A suplementação fisiológica de ácidos graxos ômega-3 não contribui para o controle do estresse oxidativo, da inflamação e da dislipidemia em pacientes tratados por hemodiálise. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015.
    • APA

      Mattos, A. M. de, & Chiarello, P. G. (2015). A suplementação fisiológica de ácidos graxos ômega-3 não contribui para o controle do estresse oxidativo, da inflamação e da dislipidemia em pacientes tratados por hemodiálise. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Mattos AM de, Chiarello PG. A suplementação fisiológica de ácidos graxos ômega-3 não contribui para o controle do estresse oxidativo, da inflamação e da dislipidemia em pacientes tratados por hemodiálise. 2015 ;
    • Vancouver

      Mattos AM de, Chiarello PG. A suplementação fisiológica de ácidos graxos ômega-3 não contribui para o controle do estresse oxidativo, da inflamação e da dislipidemia em pacientes tratados por hemodiálise. 2015 ;