Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Ocorrência de eventos adversos e sua relação com o fator comunicação em um hospital universitário (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: PENA, MILEIDE MORAIS - EE
  • USP Schools: EE
  • Sigla do Departamento: ENO
  • Subjects: ENFERMAGEM; ASSISTÊNCIA À SAÚDE (QUALIDADE); PACIENTES (SEGURANÇA); COMUNICAÇÃO
  • Keywords: Communication; Gerenciamento de segurança; Nursing; Patient safety; Quality of health care; Safety management
  • Language: Português
  • Abstract: Anualmente, dezenas de milhões de pacientes sofrem lesões incapacitantes ou morte devido a eventos adversos no mundo. Inúmeros são os fatores que contribuem para tal, dentre eles, as falhas de comunicação. Objetivos: identificar as não conformidades referentes aos eventos adversos: erro de medicação, flebite, queda e úlcera por pressão (UPP) que causaram dano permanente ou temporário, no triênio 2011-2013; analisar as causas raízes dos eventos adversos; estratificar os eventos relacionados às falhas de comunicação e avaliar se eram evitáveis. Método: Estudo quantitativo e exploratório-descritivo com coleta retrospectiva dos dados, desenvolvido em um hospital universitário, cuja amostra foi de 263 Relatórios de Não Conformidade. A análise dos dados ocorreu pela estatística descritiva e testes específicos. Resultados: Os eventos foram distribuídos em 39,9% de flebites, 32,7% de erros de medicação, 16% de UPP e 11,4% de quedas. A média de idade dos pacientes foi de 52,04 anos. 39,5% dos eventos ocorreram no plantão da manhã, sendo 33,1% nas UTI. Na maioria dos eventos, houve o envolvimento de mais de um profissional e, na análise de causa raiz, a maioria dos eventos apresentou mais de uma causa. 98,9% dos eventos resultaram em dano temporário e 69,2% foram considerados evitáveis. Na análise do fator comunicação, 71% dos eventos evidenciaram falha de comunicação.No erro de medicação, a prevalência foi de 53,5% com falhas na comunicação verbal e escrita; nas quedas, 36,7% apresentaram falha na comunicação verbal; nas UPP, 52,4% com falhas na comunicação verbal e escrita; nas flebites, falha na comunicação escrita em 37,1% dos eventos. Os auxiliares/técnicos de enfermagem participaram de 98,1% dos eventos com falhas na comunicação escrita. 96,8% dos eventos relacionados aos profissionais apresentaram falhas de comunicação verbal e escrita. Dos eventos que apresentaram falha de comunicação verbal, 97,5% resultaram em danos temporários. Dentre os eventos que apresentaram falha de comunicação, 82,3% foram considerados evitáveis. Conclusões: Os achados deste estudo contribuem para o aperfeiçoamento dos processos de trabalho em saúde e enfermagem, ensino e pesquisa, direcionando as ações dos gestores para a implantação de melhores práticas e a capacitação contínua dos profissionais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.06.2015

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EE10200028284T4539
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PENA, Mileide Morais; MELLEIRO, Marta Maria. Ocorrência de eventos adversos e sua relação com o fator comunicação em um hospital universitário. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.
    • APA

      Pena, M. M., & Melleiro, M. M. (2015). Ocorrência de eventos adversos e sua relação com o fator comunicação em um hospital universitário. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Pena MM, Melleiro MM. Ocorrência de eventos adversos e sua relação com o fator comunicação em um hospital universitário. 2015 ;
    • Vancouver

      Pena MM, Melleiro MM. Ocorrência de eventos adversos e sua relação com o fator comunicação em um hospital universitário. 2015 ;