Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Apego matermo-fetal, enfrentamento e perfis cognitivos de personalidade em gestantes que recebem diagnóstico de malformação (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BORGES, MÁIRA MORENA - FFCLRP
  • USP Schools: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 594
  • Subjects: COMPORTAMENTO DE APEGO; ENFRENTAMENTO; MALFORMAÇÕES; PERSONALIDADE
  • Language: Português
  • Abstract: Compreende-se o período gestacional como uma fase de transição que tem sido cada vez mais alvo de investigação por envolver uma série de mudanças, dentre elas, hormonais, físicas, psicológicas, familiares e sociais. A adaptação da mulher a este novo período e o desenvolvimento de novos papéis psicossociais influenciarão diretamente a relação mãe-feto. A maneira como a mulher vivência a gravidez e constrói o cantato afetivo com o feto, será expressa de modo variável, de acordo com a história de vida de cada gestante, a história de contatos que ela estabeleceu e os significados que atribuiu a estes. A gravidez e a maternidade por si só exigem a reorganização e reestruturação da mulher, o diagnóstico de uma malformação fetal poderá transformar essa necessidade de adaptação em uma crise emocional, exigindo a elaboração e enfrentamento de uma nova realidade, o que não se constitui em um processo fácil. O estresse vivenciado por essas mães pode alterar os níveis de ansiedade e depressão, dificultando seu ajustamento e seu desempenho no papel de cuidadora. Para que possam superar e se adaptar a essa nova situação, as gestantes se utilizam de diferentes estratégias de enfrentamento que são determinadas por fatores diversos, dentre eles, os perfis de personalidade. O objetivo deste estudo foi avaliar o apego materno-fetal, estratégias de enfrentamento e perfis cognitivos de personalidade apresentados por gestantes após receberam o diagnóstico de malformação do feto. Participaram da pesquisa, 13 gestantes atendidas no Serviço de Ginecologia e Obstetricia - Ambulatório de Medicina Fetal da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, no período de julho de 2013 a maio de 2014. Utilizou-se a Escala de Apego Materno-Fetal; os Inventários Beck de Ansiedade (BAI) e Depressão (BDI); a Escala de Modos de Enfrentamento de Problemas (EMEP); a forma reduzida do Questionário de Crenças Pessoais (PBQ-SF);e um roteiro de entrevista para obter dados sócio demográficos e obstétricos das gestantes. Os instrumentos foram analisados quantitativamente, conforme as normas de cada um deles. Os dados também foram correlacionados utilizando testes estatísticos, não paramétricos. Os resultados mostram que apesar do impacto da notícia de malformação e do prognóstico as gestantes mantiveram o apego com seus fetos. A estratégia de enfrentamento focalizada na busca de práticas religiosas e/ou pensamento fantasioso, que engloba sentimentos de esperança e fé diante do diagnóstico de malformação fetal foi a mais utilizada pelas gestantes que compõem a amostra. A maioria das gestantes não apresentou indicadores para ansiedade e depressão. Dentre os perfis cognitivos de personalidade, os mais frequentes entre as gestantes foram o perfil evitativo e o perfil dependente. O estudo se mostrou relevante ao contribuir para a reflexão de variáveis, como personalidade, diferentes estilos de enfrentamento e estados emocionais, que podem interferir no ajustamento materno frente ao diagnóstico de malformação e no processo de vinculação com o feto. Estudos posteriores precisam ser realizados, possibilitando maior conhecimento de fatores que podem favorecer o melhor direcionamento do processo interventivo tanto de psicólogos, como da equipe de saúde envolvida no contexto de gestações de risco
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 02.06.2015

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FCLRP20800049404Borges, Máira Morena
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BORGES, Máira Morena; PETEAN, Eucia Beatriz Lopes. Apego matermo-fetal, enfrentamento e perfis cognitivos de personalidade em gestantes que recebem diagnóstico de malformação. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015.
    • APA

      Borges, M. M., & Petean, E. B. L. (2015). Apego matermo-fetal, enfrentamento e perfis cognitivos de personalidade em gestantes que recebem diagnóstico de malformação. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Borges MM, Petean EBL. Apego matermo-fetal, enfrentamento e perfis cognitivos de personalidade em gestantes que recebem diagnóstico de malformação. 2015 ;
    • Vancouver

      Borges MM, Petean EBL. Apego matermo-fetal, enfrentamento e perfis cognitivos de personalidade em gestantes que recebem diagnóstico de malformação. 2015 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: