Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Avaliação da resposta ao tratamento com metotrexato em indivíduos com Artrite Reumatoide fisicamente ativos e sedentários (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: ALMEIDA, SERGIO COUTO LUNA DE - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Subjects: ARTRITE REUMATOIDE; EXERCÍCIO FÍSICO; LINFÓCITOS T
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: O metotrexato (MTX) é a primeira escolha para o tratamento da artrite reumatoide (AR) inicial, com taxa de resposta em torno de 50%. O exercício aeróbico de baixo impacto produz um efeito anti-inflamatório e poderia influenciar a resposta terapêutica em doenças inflamatórias crônicas. Objetivos: 1) Avaliar o quão fisicamente ativos são os pacientes com AR inicial e se o nível de atividade física está relacionado a um diferente grau de atividade da doença antes do início do tratamento; 2) Avaliar se há diferença na resposta ao tratamento com MTX entre pacientes fisicamente ativos e inativos e se ela é influenciada pelo tabagismo; 3) Avaliar, após o tratamento com MTX, a concentração plasmática de linfócitos T regulatórios, bem como a proporção destes que expressa CD39. Materiais e métodos: Avaliamos 65 pacientes com AR inicial tratados com MTX (15 a 25 mg/semana), sendo definidos como respondedores os pacientes que atingiram baixa atividade de doença ou remissão (DAS-28<3,2). Utilizamos o IPAQ (International Physical Activity Questionnaire) para avaliação do nível de atividade física. Quantificamos, por citometria de fluxo, a concentração sanguínea periférica de linfócitos Tregs e a proporção de Tregs que expressavam CD39 após três meses de uso do MTX. A análise estatística foi realizada utilizando teste t não-pareado, sendo significantes resultados com p<0,05. Resultados: Observamos que 70,8% dos pacientes com AR inicial eram fisicamente ativos e que os índices de atividade da doença não foram diferentes antes do início do tratamento entre fisicamente ativos e inativos. No entanto, observamos melhor resposta ao MTX no grupo fisicamente ativo (53%) em comparação com o grupo de inativos (20%). Não houve diferença na taxa de resposta ao MTX entre tabagistas e não-tabagistas. Não houve diferença na concentração nem na proporção de Tregs no sangue periférico,bem como na proporção de Tregs expressando CD39 entre pacientes fisicamente ativos e inativos. Conclusão: O exercício físico pareceu influenciar a resposta terapêutica ao MTX em pacientes com AR inicial, sem ter havido influência no número de células Treg periféricas. Avaliação com maior número de pacientes e estratégias controladas da atividade física serão necessárias para a confirmação dos nossos resultados
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.05.2015

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200067367Almeida, Sérgio C. Luna de
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ALMEIDA, Sérgio Couto Luna de; LOUZADA JÚNIOR, Paulo. Avaliação da resposta ao tratamento com metotrexato em indivíduos com Artrite Reumatoide fisicamente ativos e sedentários. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015.
    • APA

      Almeida, S. C. L. de, & Louzada Júnior, P. (2015). Avaliação da resposta ao tratamento com metotrexato em indivíduos com Artrite Reumatoide fisicamente ativos e sedentários. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Almeida SCL de, Louzada Júnior P. Avaliação da resposta ao tratamento com metotrexato em indivíduos com Artrite Reumatoide fisicamente ativos e sedentários. 2015 ;
    • Vancouver

      Almeida SCL de, Louzada Júnior P. Avaliação da resposta ao tratamento com metotrexato em indivíduos com Artrite Reumatoide fisicamente ativos e sedentários. 2015 ;