Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Avaliação das políticas linguísticas para intercâmbios (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: NÓBREGA, MARIA HELENA DA - FFLCH
  • USP Schools: FFLCH
  • Subjects: LINGUÍSTICA; INTERCÂMBIO CULTURAL; GLOBALIZAÇÃO; MULTILINGUISMO; MULTICULTURALISMO
  • Language: Português
  • Abstract: A globalização influenciou todas as esferas de produção das sociedades contemporâneas e revolucionou o comércio, a economia, a comunicação, o relacionamento e o cotidiano das pessoas. A educação não poderia ficar à margem desse movimento de mudanças, e os intercâmbios são frutos dessa avalanche de modificações. Várias ações concretizam as políticas de internacionalização, tema em destaque em universidades que se esforçam para manter competitividade científica e tecnológica. No inventário dessas práticas, pesquisadores e professores promovem atividades de cooperação internacional, criando convênios interinstitucionais que superam problemas burocráticos, estruturais, financeiros, culturais e linguísticos. Dentre os aspectos positivos desse trânsito, destaca-se o estabelecimento de redes de pesquisa e a formação de profissionais aptos para os mercados interculturais emergentes. Qualquer que seja a perspectiva de análise, a internacionalização, assim como a globalização, parece ter vindo para ficar. A Declaração de Bolonha, de 1999, dá provas disso no mercado educacional europeu. O Mercosul também já iniciou políticas educacionais que buscam criar unidade para cursos de graduação e pós-graduação, com vistas a facilitar os trâmites legais para a circulação de professores e alunos além das fronteiras nacionalistas. Assim, a internacionalização se concretiza em projetos de pesquisa, associações, publicações conjuntas com pesquisadores estrangeiros etc. Nesse processo, vêm ganhando destaque os intercâmbios estudantis, nos quais o Brasil vem investindo continuamente, criando bolsas de estudo para promover a estada de estudantes no exterior. Em 2011, por exemplo, o governo federal lançou o Programa Ciência sem Fronteiras, que prevê até 75 mil bolsas de intercâmbio para alunos da graduação e pós-graduação nos próximos quatro anos.Nesse cenário, o objetivo desta comunicação é investigar os programas de mobilidade disponíveis para os estudantes brasileiros, de forma a analisar as políticas norteadoras dos intercâmbios. Conhecendo as propostas, é possível recomendar planejamento de ações para enfrentar o multiculturalismo e multilinguismo da atualidade. As questões abordadas situam-se na linha de pesquisa dos estudos de linguística aplicada do português, área em que as indagações sobre questões contextualizadas encontram-se em plena fertilidade. O percurso metodológico envolve análise documental de pesquisas sobre intercâmbios, confrontadas com as políticas linguísticas desenvolvidas para essa área. Como resultado, destacam-se os avanços já realizados pelas políticas linguísticas brasileiras na área dos intercâmbios educacionais, bem como sugestões de intervenção
  • Imprenta:
  • Source:
  • Conference titles: Seminário do GEL

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FFLCH2724225-10Resumo no registro
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NÓBREGA, Maria Helena da. Avaliação das políticas linguísticas para intercâmbios. Anais.. São Paulo: GEL, 2015.
    • APA

      Nóbrega, M. H. da. (2015). Avaliação das políticas linguísticas para intercâmbios. In Programação e resumos. São Paulo: GEL.
    • NLM

      Nóbrega MH da. Avaliação das políticas linguísticas para intercâmbios. Programação e resumos. 2015 ;
    • Vancouver

      Nóbrega MH da. Avaliação das políticas linguísticas para intercâmbios. Programação e resumos. 2015 ;