Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Avaliação de preditores para potência sexual e continência urinária durante a realização da prostatectomia radical robótica assistida (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MORAIS, HUMBERTO DE CAMPOS FRANCO - FM
  • USP Schools: FM
  • Sigla do Departamento: MCG
  • Subjects: NEOPLASIAS PROSTÁTICAS (TERAPIA); PRÓSTATA (FISIOPATOLOGIA); PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS UROGENITAIS (TENDÊNCIAS); ROBÓTICA (TENDÊNCIAS); DISFUNÇÃO ERÉTIL; INCONTINÊNCIA URINÁRIA
  • Keywords: Impotência sexual; Neoplasias da próstata; Predictive value of tests; Procedimentos cirúrgicos robóticos; Prostatectomia; Prostatectomy; Prostatic neoplasms; Robotic surgical procedures; Sexual impotence; Urinary incontinence; Valor preditivo dos testes
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO: O câncer de próstata é a neoplasia sólida mais comum em homens. Na doença localizada, as alternativas de tratamento cirúrgico são a Prostatectomia Radical Retropúbica (PRR), Prostatectomia Radical Perineal (PRP), Prostatectomia Radical Laparoscópica (PRL) e Prostatectomia Radical Robótica Assistida (PRRA). A cirurgia robótica tem recebido atenção de especialistas pelas perspectivas de melhores resultados funcionais, se comparado às demais técnicas, porém não há evidências suficientes na literatura que defina fatores prognósticos para os resultados funcionais. OBJETIVO: Identificar fatores prognósticos para resultados funcionais em portadores de câncer de próstata localizado submetidos à PRRA. MÉTODO: Analisaram-se vídeos de 143 PRRA realizadas de janeiro de 2009 a janeiro de 2012 no Hospital Alemão Oswaldo Cruz, São Paulo (Brasil) por um único cirurgião. A potência sexual foi avaliada considerando os parâmetros de dissecção bilateral ou unilateral, nota de dissecção, uso de cautério, uso de tração, uso de pontos hemostáticos no Feixe Vásculo Nervoso (FVN) e dados pré e pós-operatórios. Em relação à continência urinária, considerou-se o comprimento e qualidade do coto uretral, o tamanho do colo vesical e dados pré e pós-operatórios. No pós-operatório, potência sexual foi definida como a capacidade de penetração em mais de 50% das tentativas de intercurso sexual (escore >= 3 na Questão 2 do IIEF-5) com ou sem o uso de inibidores de Fosfodiesterase tipo 5. Continência urinária foi considerada quando não houvenecessidade do uso de forros ou, se usados, que fosse no máximo um e apenas como segurança, ou que apresentaram escore zero no ICIQ-SF. RESULTADOS: Observou-se correlação para recuperação da potência com dissecção bilateral do FVN (p=0,001), maior nota de dissecção do FVN no 6º (p < 0,01) e 12º mês (p < 0,01), mediana de nota 9 para dissecção do FVN (p < 0,01), menor idade no 6º (p < 0,01) e 24º mês (p=0,01), idade média de 59 (p=0,007), 58,35 (p=0,02) e 57,7 anos (p=0,005) no 6º, 18º e 24º mês, respectivamente, peso corporal médio de 76,18 Kg (p=0,01), peso prostático com mediana de 31 g (p=0,03), menor valor de Gleason total (p=0,03), Gleason total com mediana de 6 (p=0,009), mediana de 12 fragmentos retirados (p=0,001), menor volume tumoral no 1º (p=0,01) e 18º mês (p=0,02), volume tumoral com mediana de 5,25 (p=0,03), 5,40 (p=0,02) e 5,25 cm³ (p=0,04) no 1º, 18º e 24º mês, respectivamente, tumor unilateral (p=0,02), e ausência de invasão capsular (p=0,02). As variáveis, uso de cautério, tração e pontos hemostáticos no FVN não apresentaram correlação com recuperação de potência sexual. A continência urinária apresentou correlação com maior tempo de cirurgia no 3º (p < 0,01) e 12º mês (p=0,02), mediana de tempo de cirurgia de 3,45 (p=0,001), 3,35 (p=0,04) e 3,30 horas (p=0,04) no 3º, 6º e 12º mês, respectivamente. As variáveis, comprimento do coto uretral, qualidade do coto uretral e tamanho do colo vesical não se correlacionaram com continência urinária, apesar de tamanho do colo vesical mostrar tendência com medianade 15,92 mm (p=0,054). CONCLUSÃO: As variáveis, dissecção bilateral, nota de dissecção do FVN, idade, peso corporal, peso da próstata, Gleason total, número de fragmentos retirados, volume tumoral, estadiamento tumoral e tempo de cirurgia apresentaram-se como ferramentas úteis para definir fatores prognósticos para resultados funcionais em homens portadores de câncer de próstata localizado, submetidos à PRRA
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.09.2015
  • Acesso online ao documento

    Acesso à fonte or search this record in

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MORAIS, Humberto de Campos Franco; PASSEROTTI, Carlo Camargo. Avaliação de preditores para potência sexual e continência urinária durante a realização da prostatectomia radical robótica assistida. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5153/tde-23112015-162650/ >.
    • APA

      Morais, H. de C. F., & Passerotti, C. C. (2015). Avaliação de preditores para potência sexual e continência urinária durante a realização da prostatectomia radical robótica assistida. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5153/tde-23112015-162650/
    • NLM

      Morais H de CF, Passerotti CC. Avaliação de preditores para potência sexual e continência urinária durante a realização da prostatectomia radical robótica assistida [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5153/tde-23112015-162650/
    • Vancouver

      Morais H de CF, Passerotti CC. Avaliação de preditores para potência sexual e continência urinária durante a realização da prostatectomia radical robótica assistida [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5153/tde-23112015-162650/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019