Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

O jeito que a gente diz: um desafio para tradutores e aprendizes de PLE (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: TAGNIN, STELLA ESTHER ORTWEILER - FFLCH
  • USP Schools: FFLCH
  • Subjects: TRADUÇÃO (ENSINO); LINGUÍSTICA DE CORPUS
  • Language: Português
  • Abstract: Um dos maiores desafios do tradutor é encontrar a “tradução certa”, o equivalente “perfeito” na língua de chegada. Mas isso não se restringe à linguagem técnica. Muito pelo contrário, é na linguagem cotidiana que podem surgir problemas muitas vezes não percebidos pelo tradutor. São os problemas da convencionalidade na língua, aquelas combinações fixas ou semifixas – chamadas de colocações - que passam despercebidas ao tradutor “ingênuo” (similar ao “aprendiz ingênuo” de Fillmore 1979) por não representarem um problema de compreensão. Para tanto, o tradutor/aprendiz deve, primeiramente, perder sua “ingenuidade” e se conscientizar da existência dessas convenções. A partir daí estará apto a recorrer a uma fonte de referência para buscar o equivalente. Surge aqui um novo problema, pois os dicionários brasileiros não costumam elencar essas colocações. Mas existem hoje corpora on-line que o tradutor/aprendiz pode consultar, gratuitamente, para dirimir suas dúvidas. O objetivo deste trabalho é, primeiramente, apresentar e discutir as principais categorias convencionais relevantes para o tradutor – e para o aprendiz da língua portuguesa -, a partir do princípio idiomático proposto por Sinclair (1991), que reza que a língua é composta por um vasto número de combinações consagradas. Em seguida, pretende demonstrar como corpora que contemplam a língua portuguesa podem ser usados tanto para solucionar problemas tradutórios quanto para auxiliar o aprendiz de PLE. Os corpora que ilustrarão essa metodologia, vinculada à Linguística de Corpus, são: Corpus do Português, COMPARA, Cortrad e CorTec. O primeiro corpus é monolíngue; os outros são bilíngues inglês-português. Como a Linguística de Corpus já tem sido amplamente usada em cursos de formação de tradutores, mas ainda é pouco conhecida no ensino de PLE, acreditamos que essa área poderia se beneficiar muito de sua utilização.
  • Imprenta:
  • Source:
  • Conference titles: Simpósio Mundial de Estudos de Língua Portuguesa

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FFLCH2731077-10Resumo no registro
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TAGNIN, Stella Esther Ortweiler. O jeito que a gente diz: um desafio para tradutores e aprendizes de PLE. Anais.. Lecce: Università del Salento, 2015.
    • APA

      Tagnin, S. E. O. (2015). O jeito que a gente diz: um desafio para tradutores e aprendizes de PLE. In Caderno de Resumos. Lecce: Università del Salento.
    • NLM

      Tagnin SEO. O jeito que a gente diz: um desafio para tradutores e aprendizes de PLE. Caderno de Resumos. 2015 ;
    • Vancouver

      Tagnin SEO. O jeito que a gente diz: um desafio para tradutores e aprendizes de PLE. Caderno de Resumos. 2015 ;