Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Avaliação da estabilidade primária de implantes convencionais e modificados por meio de ensaios de desempenho, frequência de ressonância e análise microestrutural (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: VALENTE, MARIANA LIMA DA COSTA - FORP
  • USP Schools: FORP
  • Sigla do Departamento: 805
  • Subjects: IMPLANTE DENTÁRIO ENDOÓSSEO; ÓSSEOINTEGRAÇÃO (FISIOLOGIA)
  • Keywords: Caracterização morfológica; Dental implants; Ensaio de arrancamento; Estabilidade primária; Frequência de ressonância; Insertion torque; Morphological characterization; Osseointegration; Primary stability; Pullout test; Resonance frequency; Torque de inserção
  • Language: Português
  • Abstract: A estabilidade primária dos implantes odontológicos é determinante para a osseointegração e depende dos fatores qualidade, quantidade óssea e tipo de implante. O objetivo desse estudo foi avaliar a influência do formato de implantes convencionais e modificados e do tipo de substrato na estabilidade primária por meio da correlação de ensaios de desempenho e frequência de ressonância e análise microestrutural. No estudo foram utilizados 54 implantes Neodent®: 27 cilíndricos, sendo 9 hexágono externo (Titamax Ti Cortical - 4,0 mm x 11 mm), 9 hexágono interno (Titamax II Plus - 3,75 mm x 11 mm) e 9 cone morse (Titamax CM - 4,0 mm x 11 mm); e 27 implantes cônicos de 4,3 mm x 10 mm, sendo 9 hexágono externo (Alvim Ti), 9 hexágono interno (Alvim II Plus) e 9 cone morse (Alvim CM). Os implantes foram inseridos em osso artificial da marca Nacional® nas densidades de 15, 20 e 40 PCF e osso de costela suína. Para os ensaios de desempenho foi quantificado o torque de inserção com um torquímetro digital e a força máxima de arrancamento utilizando uma Máquina Universal de Ensaios. Para avaliar a frequência de ressonância foi utilizado o aparelho Ostell® e para a análise morfológica um Microscópio Eletrônico de Varredura, sob aumentos de 40 e 100 vezes. Após a realização dos ensaios com os implantes convencionais, os modelos Alvim CM e Titamax Ti Cortical (n=9) tiveram sua morfologia externa alterada com a prolongação dos chanfros desde o terço apical até o nível da plataforma protética e foram submetidos aos mesmos testes propostos para os parafusos originais. Verificada a normalidade dos dados utilizou-se o teste de análise de variância ANOVA, comparação de médias Tukey (α=5%) e correlação de Pearson. Para os implantes convencionais, o Alvim CM apresentou maior média em todos os ensaios realizados, sendo estatisticamente diferente dos implantes cilíndricos quando analisado otorque de inserção no osso (73,33 N.cm) e força de arrancamento na poliuretana de 40 PCF (910,36 N) e osso (553,79 N). Os implantes Titamax II Plus tiveram as menores médias, diferente estatisticamente dos cônicos quando analisado o torque de inserção (22,22 N.cm) e frequência de ressonância no osso (72,83 ISQ) e força de arrancamento na poliuretana de 40 PCF (61,97 N) e osso (86,40 N). A análise dos ensaios de desempenho e frequência de ressonância apresentou correlação moderada de acordo com o p de Pearson (0,30 a 0,70) e a comparação entre as fotomicrografias não mostrou alteração morfológica dos implantes. A modificação realizada no parafuso Alvim CM proporcionou um aumento significativo no torque de inserção (p=0,000), diminuição das médias de arrancamento (p=0,000) e manteve semelhança com as médias de frequência de ressonância (p=0,169) quando comparado ao implante convencional. O Titamax Ti modificado aumentou significativamente o torque de inserção (p=0,043) e provocou diminuição significativa para a frequência de ressonância (p=0,002) e ensaio de arrancamento (p=0,000). Conclui-se que o formato dos implantes interfere na estabilidade primária, sendo os implantes cônicos indutores de maior estabilidade. A análise de correlação das metodologias empregadas demonstrou a associação positiva das mesmas para complementação da análise da estabilidade primária
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 09.10.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FORP11700016954Valente, Mariana Lima da Costa
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VALENTE, Mariana Lima da Costa; REIS, Andréa Cândido dos. Avaliação da estabilidade primária de implantes convencionais e modificados por meio de ensaios de desempenho, frequência de ressonância e análise microestrutural. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58131/tde-11032015-083615/ >.
    • APA

      Valente, M. L. da C., & Reis, A. C. dos. (2014). Avaliação da estabilidade primária de implantes convencionais e modificados por meio de ensaios de desempenho, frequência de ressonância e análise microestrutural. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58131/tde-11032015-083615/
    • NLM

      Valente ML da C, Reis AC dos. Avaliação da estabilidade primária de implantes convencionais e modificados por meio de ensaios de desempenho, frequência de ressonância e análise microestrutural [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58131/tde-11032015-083615/
    • Vancouver

      Valente ML da C, Reis AC dos. Avaliação da estabilidade primária de implantes convencionais e modificados por meio de ensaios de desempenho, frequência de ressonância e análise microestrutural [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58131/tde-11032015-083615/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: