Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Efeito da atmosfera de sinterização na resistência de união da porcelana com ligas de níquel-cromo e cobalto-cromo (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: ALVES, LUCIANA MARA NEGRãO - FORP
  • USP Schools: FORP
  • Sigla do Departamento: 805
  • Subjects: ODONTOLOGIA; SINTERIZAÇÃO; MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE VARREDURA; LIGAS DENTÁRIAS; PORCELANA DENTÁRIA
  • Keywords: Alternative alloys; Ambiente de sinterização; Firing atmosphere; Ligas alternativas; Metalceramic bond strength; Resistência de união metalocerâmica; Scanning electron microscopy (SEM)
  • Language: Português
  • Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência de dois diferentes ambientes de sinterização (vácuo e argônio) sobre a resistência da união metaloceramica (RUMC) envolvendo diferentes ligas de metais básicos (Co-Cr e Ni-Cr) e uma porcelana odontológica, através do teste de flexão de três pontos, conforme preconizado pela ISO 9693:2012. As ligas estudadas foram Co-Cr: Remanium e Keragen e Ni-Cr: Verabond II e uma liga experimental “SR” . Foram obtidos 80 corpos de prova em forma tiras metálicas medindo 25 X 0,5 X 5 mm. Para esse ensaio, portanto, o número de corpos de prova foi o produto de 4 ligas x 2 condições de atmosfera de sinterização x 10 repetições. A parte metálica de todos os corpos de prova após a fundição foram usinados e jateados com óxido de alumínio (150μm) e a seguir tratados como preconizado pelo fabricante. O corpo cerâmico, com o auxílio de uma matriz, foi confeccionado na área central da tira, 8,0 X 3,0mm, apresentando 1,1mm de espessura, sendo 10 corpos de prova em cada ambiente de sinterização para cada tipo de liga. Os corpos de prova obtidos foram submetidos aos testes de flexão de três pontos na Máquina de Ensaios Mecânicos (EMIC) com velocidade de 1.0mm/min. para determinação da RUMC. Os valores da carga de ruptura obtidos em quilograma-força (Kgf) foram convertidos para Newton (N) e a partir disso foi calculado o valor da RUMC para cada corpo de prova, considerando o coeficiente de elasticidade de cada liga e a espessura exata de cada corpo de prova. Os dados obtidos (MPa) foram submetidos à análise estatística (ANOVA) e Bonferroni. A Análise de Variância indicou diferença estatisticamente significante para os fatores de variação ambiente (P=0,00), liga (P=0,009) e entre as interações ambiente de sinterização e liga (P=0,000). Na sinterização a vácuo as ligas Keragen, SR e Verabond II apresentaram maiores valores de RUMC do que oargônio. Para a liga Remanium, não houve diferença entre a sinterização em argônio e a sinterização a vácuo. Dentre os grupos sinterizados no argônio não houve diferença estatisticamente significante entre as ligas. Entretanto, no vácuo a liga Remanium apresentou menor valor de RUMC do que as demais ligas, que não apresentaram diferença entre si. Os corpos de prova, após os ensaios de flexão, foram submetidos a análise em microscopia optica, MEV e EDS para avaliar e registrar tipo de falha que sofreram. De acordo com a MO, houve predomínio de fraturas mistas. Os corpos de prova de Co-Cr (Remanium e Keragen), independende do ambiente de sinterização, apresentaram uma fina camada de óxido no corpo cerâmico, o que foi comprovado pelo EDS, com maior presença de íons Cr nessas regiões, já os grupos SR e Verabond II, apresentaram maior quantidade de opaco aderido em suas tiras metálicas. A MEV comprovou os achados da MO, onde foi possível encontrar grandes ilhas de material cerâmico nas ligas de Ni-Cr. A sinterização em argônio influenciou negativamente a RUMC dos pares metalocerâmicos confeccionados em Ni-Cr e na liga Keragem
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.02.2015
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FORP11700016942Alves, Luciana Mara Negrão
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ALVES, Luciana Mara Negrão; BEZZON, Osvaldo Luiz. Efeito da atmosfera de sinterização na resistência de união da porcelana com ligas de níquel-cromo e cobalto-cromo. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58131/tde-19032015-085544/ >.
    • APA

      Alves, L. M. N., & Bezzon, O. L. (2015). Efeito da atmosfera de sinterização na resistência de união da porcelana com ligas de níquel-cromo e cobalto-cromo. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58131/tde-19032015-085544/
    • NLM

      Alves LMN, Bezzon OL. Efeito da atmosfera de sinterização na resistência de união da porcelana com ligas de níquel-cromo e cobalto-cromo [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58131/tde-19032015-085544/
    • Vancouver

      Alves LMN, Bezzon OL. Efeito da atmosfera de sinterização na resistência de união da porcelana com ligas de níquel-cromo e cobalto-cromo [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58131/tde-19032015-085544/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: