Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Avaliação da constituição populacional periférica de linfócitos Treg e TH17 como preditor de resposta ao metotrexato em pacientes com artrite reumatóide inicial (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: GUERRERO, FLAVIA ALEXANDRA - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Subjects: ARTRITE REUMATOIDE; TERAPÊUTICA MÉDICA; LINFÓCITOS T
  • Language: Português
  • Abstract: Atualmente existe uma tendência a iniciar o tratamento da AR (artrite reumatóide) em fases cada vez mais precoces, reduzindo os danos a estruturas articulares e periarticulares, preservando a capacidade funcional do paciente. Com o uso dos novos critérios diagnósticos do de 2010 (ACR - Americn College of Rheumatology/ EULAR - European League Against Rheumatism) tem-se buscado o diagnóstico cada vez mais precoce, dentro do período considerado como artrite reumatóide inicial (os primeiros 12 a 24 meses desde o início dos sintomas), com o intuito de iniciar o tratamento antes do desenvolvimento de lesões estruturais. Hoje iniciamos o tratamento da maioria dos pacientes com uso isolado do metotrexato. No entanto sabemos que uma importante parcela dos pacientes não irá apresentar resposta ou irá apresentar apenas uma resposta parcial com esta terapêutica. Assim, seria importante identificar fatores clínicos ou laboratoriais que pudessem definir um subgrupo de pacientes com potencial à falha com monoterapia com metotrexato, que se beneficiariam do início precoce de terapias mais agressivas. Estudos mais recentes identificaram novas população de células do sistema imunológico, fundamentais na fisiopatologia da AR, entre elas as células Treg, com papel na tolerância imunológica, e células TH17, responsáveis pela produção de IL17, citocina importante na amplificação e manutenção do processo inflamatório. Selecionamos para o estudo 29 pacientes com diagnóstico de artrite reumatóide inicial e virgens de qualquer tratamento específico para AR e coletamos material para análise da quantificação deste grupos celulares. A avaliação foi realizada antes e 16 semanas após o tratamento com metotrexato e os pacientes foram agrupados em respondedores ou não ao metotrexato. Nesta amostra de pacientes não conseguimos identificar diferença estatística entre a contagem de células Treg, quando comparados os grupos de respondedores ou nãoao metotrexato. Esta diferença não foi observada tanto na avaliação inicial dos pacientes quanto na avaliação após a terapêutica instituída
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 03.06.2015

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200067783Guerrero, Flávia Alexandra
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GUERRERO, Flávia Alexandra; LOUZADA JÚNIOR, Paulo; CUNHA, Fernando de Queiróz; OLIVEIRA, Renê Donizete Ribeiro de. Avaliação da constituição populacional periférica de linfócitos Treg e TH17 como preditor de resposta ao metotrexato em pacientes com artrite reumatóide inicial. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015.
    • APA

      Guerrero, F. A., Louzada Júnior, P., Cunha, F. de Q., & Oliveira, R. D. R. de. (2015). Avaliação da constituição populacional periférica de linfócitos Treg e TH17 como preditor de resposta ao metotrexato em pacientes com artrite reumatóide inicial. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Guerrero FA, Louzada Júnior P, Cunha F de Q, Oliveira RDR de. Avaliação da constituição populacional periférica de linfócitos Treg e TH17 como preditor de resposta ao metotrexato em pacientes com artrite reumatóide inicial. 2015 ;
    • Vancouver

      Guerrero FA, Louzada Júnior P, Cunha F de Q, Oliveira RDR de. Avaliação da constituição populacional periférica de linfócitos Treg e TH17 como preditor de resposta ao metotrexato em pacientes com artrite reumatóide inicial. 2015 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: