Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Análise multivariada dos fatores de risco para persistência da lesão intraepitelial cervical de alto grau (LIEAG) após tratamento com cirurgia de alta frequência (CAF) (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MELLI, PATRICIA PEREIRA DOS SANTOS - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Subjects: NEOPLASIAS DO COLO UTERINO; CÉLULAS EPITELIAIS; CIRURGIA; FATORES DE RISCO
  • Language: Português
  • Abstract: Objetivo: avaliar os seguintes fatores de risco para persistência de LIEAG em mulheres submetidas à CAF: infecção HIV, margens comprometidas da peça excisada, tabagismo, lesões multicêntricas, uso de contraceptivo hormonal (MAC). Métodos: Estudo observacional analítico de coorte prospectiva em 307 mulheres com NIC II/III entre 2003-2011 submetidas à conização com CAF. Resultados: Após um ano da CAF 250 pacientes (81,4%) ficaram sem LIE, 30 (9,8%) apresentavam NIC I, 26 (8,5%) NIC II/III, e uma (0,3%) carcinoma invasor. A HIV positiva (85=27,6%) aumentou 28% o RR de manter LIE (RR=1,28;IC=1,09-1,50;p<0,01) quando comparadas às HIV negativas (222=72,3%). As margens da peça excisada foram livres em 219 (71,3%) e comprometidas em 88 (28,7%) mulheres. Quando a margem foi livre a probabilidade da paciente ter LIE pós-tratamento aumentou 14% (RR1,14;IC:1,00-1,30;p=0,05). Fumar aumentou a probabilidade da paciente ter LIE em 12% (RR1,12;IC:1,02-1,24;p=0,02). A multicentricidade da lesão e o uso de MAC não influenciaram no desfecho final (RR1,04;IC:0,84-1,28;p=0,73) e (RR1,0;IC:0,92-1,08;p=0,99) respectivamente. A infecção HIV isoladamente influenciou a necessidade de retratamento (RR2,24;IC:1,08-4,64;p=0,03), mas na análise multivariada não mudou esse risco (RR1,53;IC:0,71-3,32;p=0,28). Quando a margem cirúrgica da peça excisada foi comprometida aumentou 3,25 o RR de retratamento (IC:1,55-6,80;p< 0,01). Conclusões: O risco de LIEAG persistente foi aumentada se as pacientes eram portadoras do HIV, se fumavam ou se as margens da peça excisada estavam comprometidas após a CAF. As margens comprometidas também aumentaram o RR de uma nova conização para essas mulheres. Lesões multicêntricas e uso de contraceptivo hormonal não influenciaram a resposta ao tratamento
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.06.2015

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200067750Melli, Patrícia P. dos Santos
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MELLI, Patrícia Pereira dos Santos; QUINTANA, Silvana Maria. Análise multivariada dos fatores de risco para persistência da lesão intraepitelial cervical de alto grau (LIEAG) após tratamento com cirurgia de alta frequência (CAF). 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015.
    • APA

      Melli, P. P. dos S., & Quintana, S. M. (2015). Análise multivariada dos fatores de risco para persistência da lesão intraepitelial cervical de alto grau (LIEAG) após tratamento com cirurgia de alta frequência (CAF). Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Melli PP dos S, Quintana SM. Análise multivariada dos fatores de risco para persistência da lesão intraepitelial cervical de alto grau (LIEAG) após tratamento com cirurgia de alta frequência (CAF). 2015 ;
    • Vancouver

      Melli PP dos S, Quintana SM. Análise multivariada dos fatores de risco para persistência da lesão intraepitelial cervical de alto grau (LIEAG) após tratamento com cirurgia de alta frequência (CAF). 2015 ;