Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Modelo de otimização para o controle da leishmaniose: análise epidemiológica e econômica (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SHIMOZAKO, HéLIO JUNJI - FM
  • USP Schools: FM
  • Sigla do Departamento: MPT
  • Subjects: LEISHMANIOSE VISCERAL; MODELOS FISIOLÓGICOS; MODELOS EPIDEMIOLOGICOS; MODELOS ANIMAIS; CONTROLE DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS; EPIDEMIOLOGIA ANALÍTICA; CUSTOS DOS CUIDADOS DE SAÚDE; AVALIAÇÃO DE AÇÕES DE SAÚDE PÚBLICA
  • Keywords: Análise econômica; Avaliação de custo; Cost evaluation; Disease control strategies; Econornic analysis; Epiderniology; Estratégias de controle de doença; Leishmaniose visceral zoonótica; MathematicaI modeling; Modelagem matemática; Zoonotic visceral leishmaniasis
  • Language: Português
  • Abstract: A leishmaniose visceral zoonotica (LVZ) e uma das mais importantes doenc¸as parasitárias emergentes. Em particular, o Brasil é considerado um dos principais centros endêmicos para esta doença. Apesar da publicação de manuais de controle da leishmaniose visceral e dos investimentos aplicados na organizacão de serviços e no desenvolvimento de atividades preventivas e de controle, os vetores e os reservatórios em áreas urbanas são os maiores desafios para os programas de controle. Isto se deve (1) `a necessidade por melhor compreensão do comportamento do vetor no meio urbano; (2) `as dificuldades operacionais para realizar atividades em tempo suficiente para obter resultados de impacto; e (3) ao alto custo envolvido nessas atividades. O principal objetivo deste estudo foi elaborar um modelo de otimização para o controle da leishmaniose, baseado em 5 parâmetros de controle que correspondem `as seguintes estratégias: (I) controle vetorial, (II) eliminação de cães positivos, (III) uso de coleiras impregnadas com inseticida, (IV) vacinação canina e (V) tratamento canino. Este modelo foi construído a partir de um sistema composto por 17 equações diferenciais, sendo que 4 representam a dinâmica da doenc¸a sobre a população humana (humanos suscetíveis (xh), latentes (lh), clinicamente doentes (yh) e recuperados (zh)), 10 para a populacão de cães (cães suscetíveis (xd e xCd ), latentes (ld e lCd ), clinicamente doentes (yd e yCd ), recuperados (zd e zCd ) e vacinados (vd e vCd ), onde o índice C representa as categorias com a aplicação da coleira inseticida) e 3 para a população de vetores (mosquitos não-infectados (s1), infectados (mas não-infectivos)(s2), infectados e infectivos (s3)). Para a an´alise econômica dessas estratégias, foram estimados os custos de cada uma delas por cão (ou, no caso do controle vetorial, por casa tratada). Considerando a simulação sem a introdução das estratégias de controle, as densidades de equilíbrio endêmico para as categorias foram: xh = 0, 394, lh = 0, 0305, yh = 0, 00167, zh = 0, 574, xd = 0, 314, ld = 0, 165, yd = 0, 0163, zd = 0, 505, s1 = 0, 709, s2 = 0, 0858 e s3 = 0, 205. No estado de equilibrio endêmico, o número de reprodutibilidade basal foi estimado em R0 = 4, 50 e o n´umero diário de casos humanos notificados, em R = 3, 58 × 10-6/dia. Considerando a avaliação do impacto das estratégias de controle, o controle vetorial mostrou ser a estrat´egia que causa a diminuição mais rápida sobre o núumero diário de casos humanos notificados e, consequentemente, foi tambem a que mais reduz os custos m´edico-hospitalares. Entretanto, ´e a estratégia que exige o maior investimento. Por outro lado, a estrat´egia de eliminar cães positivos foi considerada a de menor custo. Dado que essas estratégias de controle atuam em pontos distintos na cadeia epidemiológica, o planejamento de um controle envolvendo a ação simultânea delas poderia não apenas apresentar resultados de controle mais interessantes, como tambem poderia otimizar ainda mais os investimentos sobre o controle da leishmaniose visceral
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.11.2015
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FM2739697-10W4.DB8^SP.USP^FM-2^S559mo^2015
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SHIMOZAKO, Hélio Junji; MASSAD, Eduardo. Modelo de otimização para o controle da leishmaniose: análise epidemiológica e econômica. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5144/tde-22012016-085645/ >.
    • APA

      Shimozako, H. J., & Massad, E. (2015). Modelo de otimização para o controle da leishmaniose: análise epidemiológica e econômica. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5144/tde-22012016-085645/
    • NLM

      Shimozako HJ, Massad E. Modelo de otimização para o controle da leishmaniose: análise epidemiológica e econômica [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5144/tde-22012016-085645/
    • Vancouver

      Shimozako HJ, Massad E. Modelo de otimização para o controle da leishmaniose: análise epidemiológica e econômica [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5144/tde-22012016-085645/