Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Parasitas de interações e a coevolução de mutualismos (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MARQUITTI, FLÁVIA MARIA DARCIE - IB
  • USP Schools: IB
  • Sigla do Departamento: BIE
  • Subjects: ECOLOGIA DE INTERAÇÕES; MUTUALISMO (BIOLOGIA); ESTABILIDADE; POLINIZAÇÃO; BIODIVERSIDADE; SEMENTES (DISPERSÃO)
  • Keywords: Ecological interactions; Ecological networks; Estratégia evolutivamente estável; Evolutionary game theory; Evolutionary stable strategy; Interações ecológicas; Nectar robber; Pilhador de néctar; Redes ecológicas; Stability; Teoria dos jogos evolutivos
  • Language: Português
  • Abstract: Mutualismos são interações em que os parceiros se exploram reciprocamente com benefícios líquidos para ambos os indivíduos que interagem. Sistemas mutualistas multiespecíficos podem ser descritos como redes de interação, tais como aquelas formadas por sistemas de polinização, dispersão de sementes, estações de limpeza em ambientes recifais, formigas defensoras de plantas, mimetismo mülleriano e bactérias fixadoras de nitrogênio em raízes de plantas. As interações mutualísticas estão sujeitas à trapaça por indivíduos que, por meio de algum comportamento, alcançam o benefício oferecido pelo parceiro sem oferecer nada ou oferecer muito pouco em troca. No entanto, interações mutualísticas persistem apesar da existência de trapaceiros. Neste trabalho, mostro que os parasitas de interações mutualísticas, os trapaceiros, aumentam a resiliência das redes mutualísticas às perturbações mais rapidamente em redes aninhadas, redes tipicamente encontradas em mutualismos ricos em espécies. Portanto os efeitos combinados de trapaceiros, estrutura e dinâmica das redes mutualísticas podem ter implicações para a forma como a biodiversidade é mantida. Em seguida, estudo as condições em que flores tubulares, que sofrem maiores danos ao interagirem com ladrões de néctar, conseguem coexistir com flores planares, polinizadores e pilhadores por meio de efeitos indiretos da trapaça em seu sucesso reprodutivo. O roubo do néctar pode aumentar o sucesso de uma planta se as interações com pilhadoresgerarem maior quantidade de polinização cruzada, aumentando assim o sucesso reprodutivo das plantas que interagem com ambos os visitantes florais. Tal resultado sugere uma nova fonte de manutenção da cooperação e da diversidade de estratégias por meio de efeitos não lineares das interações entre diferentes estratégias. Finalmente, estudo como as interações locais promovem a prevalência de mímicos (trapaceiros) em uma certa população na ausência de seus modelos. Mostro que presas que interagem localmente podem favorecer a predominância de mímicos e predadores que os evitam após algumas gerações e que uma distribuição não aleatória de indivíduos no espaço pode reforçar ainda mais este efeito inesperado de alopatria de modelo e mímico
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 21.08.2015
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IB12000030147D-1665
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MARQUITTI, Flávia Maria Darcie; GUIMARAES JUNIOR, Paulo Roberto. Parasitas de interações e a coevolução de mutualismos. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41134/tde-14012016-162055/ >.
    • APA

      Marquitti, F. M. D., & Guimaraes Junior, P. R. (2015). Parasitas de interações e a coevolução de mutualismos. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41134/tde-14012016-162055/
    • NLM

      Marquitti FMD, Guimaraes Junior PR. Parasitas de interações e a coevolução de mutualismos [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41134/tde-14012016-162055/
    • Vancouver

      Marquitti FMD, Guimaraes Junior PR. Parasitas de interações e a coevolução de mutualismos [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41134/tde-14012016-162055/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: