Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo terapêutico do implante intravítreo de ácido micofenólico em uveíte autoimune experimental (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: IOSHIMOTO, GABRIELA LOURENçON - IP
  • USP Schools: IP
  • Subjects: UVEÍTE; ÁCIDOS; IMPLANTES EXPERIMENTAIS; PSICOLOGIA EXPERIMENTAL; ELETRORRETINOGRAFIA; MORFOLOGIA ANIMAL; RETINA
  • Keywords: Ácido micofenólico; Electroretinogram; Eletrorretinograma; Experimental autoimune uveitis; Implante intravítreo; Intravitreous implant; Mycophenolic acid; Uveíte autoimune experimental
  • Language: Português
  • Abstract: Uveítes são inflamações intraoculares geralmente crônicas e uma das principais causas de cegueira no mundo. Os corticosteroides são as drogas de primeira escolha para o tratamento das uveítes autoimunes, mas, muitas vezes, há necessidade do uso de outras drogas imunossupressoras, como o micofenolato de mofetila, uma pró-droga, que é rapidamente convertida em ácido micofenólico (MPA) e tem se mostrado eficaz no tratamento de uveíte autoimune, reduzindo e estabilizando a inflamação. Contudo, tanto os corticosteroides quanto os imunossupressores estão associados aos efeitos colaterais graves que podem levar à necessidade de diminuição da dose ou à suspensão da droga. Assim, como uma alternativa às vias tradicionais (sistêmica e tópica) e visando diminuir os efeitos colaterais, este trabalho tem como objetivos 1) verificar a viabilidade do implante intravítreo de liberação lenta de MPA em coelhos sadios, 2) reproduzir o modelo de uveíte autoimune experimental (UAE) em coelhos através da injeção intravítrea de M. tuberculosis e 3) avaliar os efeitos terapêuticos do implante biodegradável de MPA em modelos de uveíte autoimune experimental (UAE) através de análises longitudinais clínicas e eletrorretinográficas e, após 50 dias, de análises morfológicas. Nossos resultados mostraram a viabilidade do implante intravítreo de MPA e indicaram que o modelo de UAE desenvolveu uma uveíte anterior autolimitada, com pico de inflamação em 21 dias indicado pelo aumento de células na câmaraanterior, flare e hiperemia conjuntival, assim como pela diminuição das amplitudes e aumento dos picos de latências. Com relação ao estudo do efeito terapêutico no modelo de UAE, os exames clínicos demonstraram que o implante de MPA foi capaz de diminuir o grau de uveíte durante o pico da inflamação, reduzindo a hiperemia conjuntival, as células presentes na câmara anterior e o flare. Porém, após 35 dias de tratamento, foi observado o descolamento da retina em 60% dos animais. Os resultados eletrorretinográficos também apontaram uma redução da inflamação através da recuperação das amplitudes das ondas-b escotópicas e dos picos de tempo implícito das respostas fotópicas tanto da onda-a quanto da onda-b nos animais tratados. Após 50 dias de tratamento, a imunohistoquímica revelou que o grupo tratado apresentava menos ativação das células da glia, indicando uma diminuição do processo inflamatório. A partir desses resultados, podemos concluir que o implante intravítreo de liberação lenta de MPA apresentou um efeito terapêutico no pico da inflamação, indicando uma diminuição do grau da doença e uma recuperação dos fotorreceptores, das células bipolares ON e das células de Müller, as quais foram alteradas com a inflamação. Nossos resultados também sugerem que o efeito terapêutico de MPA ocorre quando a concentração da droga se aproxima de 700 ng/mL no vítreo, pois a diminuição da inflamação ocular coincidiu com o aumento da taxa de liberação do MPA no vítreo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.10.2015
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IP12300056021T BF241 I64e e.1
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      IOSHIMOTO, Gabriela Lourençon; DAMICO, Francisco Max; VENTURA, Dora Selma Fix. Estudo terapêutico do implante intravítreo de ácido micofenólico em uveíte autoimune experimental. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47135/tde-19022016-161433/ >.
    • APA

      Ioshimoto, G. L., Damico, F. M., & Ventura, D. S. F. (2015). Estudo terapêutico do implante intravítreo de ácido micofenólico em uveíte autoimune experimental. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47135/tde-19022016-161433/
    • NLM

      Ioshimoto GL, Damico FM, Ventura DSF. Estudo terapêutico do implante intravítreo de ácido micofenólico em uveíte autoimune experimental [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47135/tde-19022016-161433/
    • Vancouver

      Ioshimoto GL, Damico FM, Ventura DSF. Estudo terapêutico do implante intravítreo de ácido micofenólico em uveíte autoimune experimental [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47135/tde-19022016-161433/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: