Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Avaliação da citotoxicidade in vitro e da toxicidade aguda in vivo de cimentos esponjosos à base de polimetilmetacrilato e de poliuretana de mamona (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SANTOS, MARIANA AVELINO DOS - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RAL
  • Subjects: BIOMATERIAIS; POLÍMEROS (MATERIAIS); CITOTOXINAS; OSTEOGÊNESE
  • Keywords: Acute systemic toxicity; Acute Toxicity site; Castor oil polyurethane; Cimento poroso; Citotoxicidade; Cytotoxicity; Polimetilmetacrilato; Poliuretana de mamona; Polymethilmethacrilate; Porous Cement; Toxicidade aguda local; Toxicidade aguda sistêmica
  • Language: Português
  • Abstract: Defeitos ósseos metafisários grandes criados após curetagem de tumores ósseos são normalmente tratados com implantação de cimento sólido de polimetilmetacrilato (PMMA). Com os novos cimentos porosos, reabsorvíveis ou não, espera-se melhores resultados clínicos com diminuição da incidência de soltura asséptica relacionada à necrose térmica do osso, à discrepância das características mecânicas e à ausência de osteointegração. A mistura de componentes efervescentes, como o bicarbonato de sódio e o ácido cítrico, produz cimentos porosos cuja biocompatibilidade e segurança nunca foram testadas, limitando sua utilização clínica. O objetivo deste estudo foi avaliar a eliminação de substâncias tóxicas e o efeito anticoagulante do citrato de sódio, um subproduto da reação. Em experimentos in vitro o cimento sólido de PMMA foi comparado aos cimentos porosos de PMMA e poliuretana de mamona nas duas formas comercialmente disponíveis (Poliquil® e Bioosteo®). Todos os elementos produzidos durante a preparação e a incubação dos cimentos foram analisados por Cromatografia Líquida de Alta Eficiência acoplada a espectrometria de massa e por proliferação de culturas das linhagens celulares NIH/3T3 e MRC-5 coradas com resazurina. Em experimentos in vivo defeitos ósseos criados nos fêmures de coelhos não preenchidos foram comparados com outros preenchidos com os cimentos porosos à base de PMMA e Poliquil®. Foram realizados ressonância magnética, análise dos parâmetros de coagulação antes, imediatamente, 1, 4 e 7 dias após a cirurgia e análise histológica do membro operado, dos rins e do fígado dos coelhos. Ambas as marcas de poliuretana de mamona (Bioósteo® e Poliquil®) liberaram 4,4'diaminodifenilmetano e a marca Poliquil® liberou também 4,4-difenilmetano diisocianato. Ambos os compostos são considerados tóxicos à inalação ou ingestão. A proliferação celulardas culturas das linhagens MRC-5 e NIH/3T3 sofreu redução menor que 20% quando em contato com os cimentos à base de poliuretana de mamona e menor que 35% quando em contato com o cimento poroso à base de PMMA, em comparação com o grupo de controle. A diluição do meio de cultura diminuiu este efeito. Acreditamos que a acidez do meio, devido à reação incompleta dos elementos efervescentes, pode ser a causa deste efeito. A análise histológica do fígado e dos rins mostrou algumas pequenas alterações na mesma proporção que no grupo controle. Inferimos que os cimentos porosos não causam toxicidade aguda sistêmica. Em todos os grupos, a análise histológica da área operada mostrou pequenos hematomas e uma ligeira reação de corpo estranho. Não foi encontrada reação inflamatória importante em nenhum dos grupos. Estes dados corroboram a hipótese de que os cimentos porosos são biocompatíveis. O leve efeito citotóxico observado in vitro não pôde ser detectado in vivo, provavelmente pelas condições locais de diluição. A produção de citrato parece não interferir com a coagulação. Os parâmetros de coagulação não sofreram alterações em qualquer momento após a cirurgia e a avaliação por ressonância magnética, assim como a análise histológica, descartou a formação de hematomas consideráveis. Concluímos que o cimento poroso à base de PMMA testado é seguro para o uso clínico, mas que os cimentos porosos à base de poliuretana de mamona eliminam substâncias tóxicas cuja repercussão clínica merece investigação específica
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.09.2015
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200068013Santos, Mariana Avelino dos
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANTOS, Mariana Avelino dos; ENGEL, Edgard Eduard. Avaliação da citotoxicidade in vitro e da toxicidade aguda in vivo de cimentos esponjosos à base de polimetilmetacrilato e de poliuretana de mamona. 2015.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17142/tde-07112015-155428/ >.
    • APA

      Santos, M. A. dos, & Engel, E. E. (2015). Avaliação da citotoxicidade in vitro e da toxicidade aguda in vivo de cimentos esponjosos à base de polimetilmetacrilato e de poliuretana de mamona. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17142/tde-07112015-155428/
    • NLM

      Santos MA dos, Engel EE. Avaliação da citotoxicidade in vitro e da toxicidade aguda in vivo de cimentos esponjosos à base de polimetilmetacrilato e de poliuretana de mamona [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17142/tde-07112015-155428/
    • Vancouver

      Santos MA dos, Engel EE. Avaliação da citotoxicidade in vitro e da toxicidade aguda in vivo de cimentos esponjosos à base de polimetilmetacrilato e de poliuretana de mamona [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17142/tde-07112015-155428/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: