Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Morfologia e ultra-estrutura dos órgãos linfoides de cetáceos (Ordem Cetacea, Subordem Odontoceti) (2014)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SILVA, FERNANDA MENEZES DE OLIVEIRA E - FMVZ
  • USP Schools: FMVZ
  • Sigla do Departamento: VCI
  • Subjects: CETACEA; MORFOLOGIA ANIMAL; SISTEMA IMUNE; SISTEMA LINFÁTICO
  • Keywords: Cetaceans; Cetáceos; Immune system; Lymphoid system; Morphology; Sistema linfoide
  • Language: Português
  • Abstract: Os linfócitos, principais células do sistema imune, podem ser encontrados em órgãos e tecidos de dois grandes sistemas do corpo: o sistema linfático, composto por uma extensa rede de vasos linfáticos e linfonodos; e o sistema linfoide, mais abrangente e que, além de englobar o sistema linfático, abrange todas as células, tecidos e órgãos do corpo que contêm agregados linfocitários, tais como o timo, baço e linfonodos. Embora esteja amplamente descrito para animais domésticos e alguns animais silvestres, estudos sobre o sistema imune em cetáceos são escassos. A influência negativa de contaminantes no sistema imune em mamíferos aquáticos está em constante discussão. Assim, um conhecimento mais profundo da anatomia deste sistema é essencial para a interpretação clínica e de achados de necropsia, para uma melhor compreensão dos achados patológicos. Portanto, o objetivo deste estudo foi caracterizar morfológica e ultraestruturalmente os órgãos do sistema linfoides de odontocetos de ocorrência no litoral brasileiro. As amostras utilizadas foram procedentes de animais encalhados nas regiões norte e nordeste do Brasil. Os órgãos analisados foram baço, timo e linfonodo, bem como os tecidos linfoides associados à mucosa. Primeiramente as amostras foram localizadas topograficamente e avaliadas macroscopicamente. Posteriormente, as amostras foram fixadas e analisadas por microscopias de luz, eletrônica de varredura e transmissão, imunohistoquímica e histomorfometria. Através dasanálises realizadas foi possível observar que os órgãos e tecidos linfoides em cetáceos são semelhantes ao observado em mamíferos domésticos, com algumas particularidades. Não existem diferenças morfológicas com relação ao timo entre as espécies estudadas, com exceção da não existência de tecido adiposo substituindo o órgão em animais mais jovens, e a presença de Corpúsculos de Hassal mais evidentes em tamanho neste grupo. Novos grupos de linfonodos foram descritos de acordo com a sua localização, entretanto todos possuiram arquitetura semelhante ao descrito na literatura para mamíferos terrestres. Os linfonodos estavam dispostos de forma solitária ou em grupos e apresentavam formato variado, recobertos por uma cápsula, e o parênquima do órgão dividiu-se em região cortical e medular. Os centros germinativos apresentaram-se mais evidentes e desenvolvidos em animais filhotes e jovens. Os baços e baços acessórios eram morfologicamente semelhantes, caracterizados por numerosos nódulos linfáticos delimitados pela bainha linfoide periarterial e uma rede celular difusa que circundava os nódulos linfáticos, sem diferenciação entre as camadas cortical e medular. Centros germinativos se tornaram mais discretos e reduzidos em número com o aumento da idade. Os baços acessórios estavam firmemente aderidos ao baço e/ou à grande curvatura da primeira cavidade do estômago, sendo mais prevalentes em animais com maior escore corporal e de mergulhos mais profundos, sugerindo uma função dereservatório sanguíneo complementar. Os tecidos linfoides associados à mucosa em cetáceos foram semelhantes aos observados em mamíferos terrestres, com adaptações inerentes ao meio aquático, como a presença de tonsilas orofaríngea e anal, assegurando uma resposta imunológica mais eficiente diante de desafios antigênicos constantes presentes em seu habitat. Sugere-se que este segmento do sistema linfoide é essencial para a proteção do animal diante dos contaminantes presentes em seu habitat. Com base nos achados do presente estudo, será possível uma melhor compreensão do funcionamento e estrutura do sistema imunológico das espécies estudadas, colaborando na elucidação das causas de encalhe destes animais, que poderão funcionar como potenciais indicadores ambientais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 20.10.2014
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMVZ11300089612T.3027 FMVZ
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Fernanda Menezes de Oliveira e; MIGLINO, Maria Angélica. Morfologia e ultra-estrutura dos órgãos linfoides de cetáceos (Ordem Cetacea, Subordem Odontoceti). 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10132/tde-24032015-141229/ >.
    • APA

      Silva, F. M. de O. e, & Miglino, M. A. (2014). Morfologia e ultra-estrutura dos órgãos linfoides de cetáceos (Ordem Cetacea, Subordem Odontoceti). Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10132/tde-24032015-141229/
    • NLM

      Silva FM de O e, Miglino MA. Morfologia e ultra-estrutura dos órgãos linfoides de cetáceos (Ordem Cetacea, Subordem Odontoceti) [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10132/tde-24032015-141229/
    • Vancouver

      Silva FM de O e, Miglino MA. Morfologia e ultra-estrutura dos órgãos linfoides de cetáceos (Ordem Cetacea, Subordem Odontoceti) [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10132/tde-24032015-141229/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: