Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Correlação entre a classificação global perceptivo-auditiva da competência velofaríngea e a área velofaríngea, e a influência do background linguístico do ouvinte (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: YAMASHITA, RENATA PACIELLO - HRAC
  • USP Schools: HRAC
  • Subjects: PERCEPÇÃO DA FALA
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO: As características perceptivas da fala podem ser usadas na previsão da função velofaríngea. Uma classificação geral e simples da competência velofaríngea (C-CVF) baseada na produção da fala tem sido utilizada devido a sua fácil reprodução. Contudo, devido à sua natureza subjetiva, torna-se importante investigar sua possível associação com medidas instrumentais. Além disso, o background linguístico do ouvinte pode influenciar os resultados, devendo, portanto, ser considerado. OBJETIVO: Investigar a associação entre a C-CVF global e a medida do orifício velofaríngeo, bem como a influência do background linguístico do ouvinte na previsão da função velofaríngea. MÉTODOS: Cinquenta e dois indivíduos Brasileiros, com fissura labiopalatina reparada, foram submetidos à medida da área do orifício velofaríngeo por meio da técnica fluxo-pressão e à gravação audiovisual de fala (12 sentenças compostas por consoantes de pressão presentes no idioma Português-Brasileiro). A área velofaríngea foi medida durante a produção do som /p/ na palavra “rampa” e, com base nesses valores, o fechamento velofaríngeo foi classificado em adequado, marginal ou inadequado. Duas fonoaudiólogas (avaliadora 1= mesmo background linguístico dos falantes das amostras e avaliadora; 2=falante nativa da língua sueca) realizaram a C-CVF utilizando escala de três pontos (0=competente; 2=marginalmente incompetente; 3=incompetente). Para a análise estatística utilizou-se o coeficiente de correlação de Spearman (p = 0,05) e o coeficiente Kappa. RESULTADOS: Houve correlação positiva entre a C-CVF e a área velofaríngea, para ambas as avaliadoras. Quanto maior a área velofaríngea, pior a C-CVF. No entanto, essa correlação foi boa (r=0,68; p=0,00) para a avaliadora 1 e moderada (r=0,48; p=0,00) para a avaliadora 2. A concordância entre as avaliadoras foi de 0,70 (Continua)(Continuação) (concordância boa). CONCLUSÃO: A CCVF global pode ser uma ferramenta válida para estimar a função velofaríngea, auxiliando o fonoaudiólogo na avaliação, diagnóstico e tratamento. Uma vez que os resultados sugeriram que o background linguístico do ouvinte pode influenciar na previsão da competência velofaríngea, esta deve ser uma variável considerada e alvo de futuras investigações
  • Imprenta:
  • Source:
  • Conference titles: Simpósio Internacional de Fissuras Orofaciais e Anomalias Relacionadas

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SCARMAGNANI, Rafaeli Higa; YAMASHITA, Renata Paciello; LOHMANDER, A. Correlação entre a classificação global perceptivo-auditiva da competência velofaríngea e a área velofaríngea, e a influência do background linguístico do ouvinte. Anais.. Bauru: Universidade de São Paulo, Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, 2015.
    • APA

      Scarmagnani, R. H., Yamashita, R. P., & Lohmander, A. (2015). Correlação entre a classificação global perceptivo-auditiva da competência velofaríngea e a área velofaríngea, e a influência do background linguístico do ouvinte. In Anais. Bauru: Universidade de São Paulo, Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais.
    • NLM

      Scarmagnani RH, Yamashita RP, Lohmander A. Correlação entre a classificação global perceptivo-auditiva da competência velofaríngea e a área velofaríngea, e a influência do background linguístico do ouvinte. Anais. 2015 ;
    • Vancouver

      Scarmagnani RH, Yamashita RP, Lohmander A. Correlação entre a classificação global perceptivo-auditiva da competência velofaríngea e a área velofaríngea, e a influência do background linguístico do ouvinte. Anais. 2015 ;