Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Alterações das concentrações plasmáticas de zinco nas crianças e adolescentes gravemente doentes com sepse grave e choque séptico (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: DELGADO, ARTUR FIGUEIREDO - FM
  • USP Schools: FM
  • Sigla do Departamento: MPE
  • Subjects: ZINCO; CRIANÇAS; INFLAMAÇÃO; DESNUTRIÇÃO; LINFÓCITOS; ANTROPOMETRIA
  • Language: Português
  • Abstract: A subnutrição hospitalar é reconhecida como um grave problema mundial atual e as crianças, principalmente com doenças crônicas, apresentam risco acentuadamente mais elevado. O zinco é um micronutriente muito importante e sua adequada homeostase é necessária para adequado funcionamento do sistema imune. A deficiência de zinco associada à subnutrição pode ocasionar grave disfunção imune, podendo acarretar aumento da mortalidade na sepse, a mais importante causa de morte nas unidades de terapia intensiva pediátricas. Ambas as condições são, frequentemente, subestimadas nas crianças gravemente doentes. O papel do zinco nos processos metabólicos parece ser marcante e associado à intensidade da resposta inflamatória e severidade da doença em crianças e adultos gravemente doentes, com a presença ou não de processo infeccioso. Reduzidas concentrações plasmáticas de zinco são evidentes na fase inicial de pacientes com sepse. Estudos revelam que há redistribuição de zinco para tecidos e órgãos durante a Síndrome da Resposta Inflamatória Sistêmica (SRIS). Nossa principal hipótese foi que concentrações plasmáticas de zinco estavam acentuadamente alteradas durante a resposta inflamatória sistêmica de crianças e adolescentes gravemente doentes.MÉTODOS: Estudo prospectivo que estudou 15 pacientes (amostra de conveniência) admitidos na Unidade de Terapia Intensiva do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, hospital de nível de atendimento terciário, entre novembro de 2009 e julho de 2011. Os critérios de inclusão foram: pacientes nas primeiras 24 horas de internação que apresentavam critérios diagnósticos clínicos compatíveis com SRIS e cujos responsáveis assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido. A avaliação nutricional clínica antropométrica foi efetuada com o objetivo de classificação do estado nutricional e determinação dos eutróficos ou subnutridos de algum grau. O grau de severidade da doença foi estimado à admissão pelo escore Pediatric Risk of Mortality (PRISM). Todas as medidas e amostras foram coletadas no primeiro e no sétimo dia de internação. A Proteína-C Reativa foi o indicador escolhido para avaliar a intensidade da resposta inflamatória. A contagem de linfócitos totais foi realizada no primeiro e no sétimo dia para avaliar a resposta imune incluindo a contagem das subpopulações linfocitárias CD4+ e CD8+. As variáveis foram analisadas com a utilização do teste de Mann- Whitney. RESULTADOS: A mediana de idade foi de 24 meses (variação de 3 a 172 meses). A incidência entre gênero feminino e masculino foi de 11 :4. A taxa de mortalidade durante o estudo foi de 20%. Cerca de 33% dos pacientes foram classificados como subnutridos no primeiro dia de hospitalização e 42,8% foram classificados como apresentando baixa estatura para a idade.Nós observamos que 100% dos pacientes apresentavam baixas concentrações de albumina na admissão e que 77% mantinham concentrações reduzidas no sétimo dia. Houve um aumento estatisticamente significante nas concentrações plasmáticas de zinco quando comparados o primeiro e o sétimo dia de internação (p = 0,0013). Não houve alteração significativa nas concentrações de Proteína C- Reativa quando comparados o primeiro e o sétimo dia (p = 0,0623). Constatamos que 35% dos pacientes apresentaram acentuada linfopenia (menos que 500 linfócitosrrnrrr') nas primeiras 24 horas de internação na UTI. Nós encontramos uma elevação estatisticamente significante na contagem de linfócitos entre o primeiro e o sétimo dia de internação (p = 0,0089). Houve um aumento proporcional nas duas subpopulações linfocitárias CD4+ e CD8+ (p = 0,0052 e p = 0,0065, respectivamente). CONCLUSÕES: a) houve elevação estatisticamente significante nas concentrações plasmáticas de zinco do primeiro (maior intensidade da resposta inflamatória) para o sétimo dia (menor intensidade da resposta inflamatória) com a utilização da Proteína C-Reativa como indicador de resposta inflamatória; b) houve elevação estatisticamente significante na contagem de linfócitos totais quando comparados o primeiro e o sétimo dia. As subpopulações linfocitárias CD4+ e CD8+ apresentaram elevação estatisticamente significante entre o primeiro e o sétimo dia; e, c) não houve associação entre medidas clínicas nutricionais antropométricas, incluindo as relacionadas de forma mais específica ao hipercatabolismo proteico, com avaliações clínicas ou laboratoriais. A mediana das concentrações séricas de albumina persistiu abaixo dos níveis considerados normais durante todo o período de estudo.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 17.11.2015

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FM2756470-10W4.DB8^SP.USP^FM-3^D392al^2015
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DELGADO, Artur Figueiredo. Alterações das concentrações plasmáticas de zinco nas crianças e adolescentes gravemente doentes com sepse grave e choque séptico. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.
    • APA

      Delgado, A. F. (2015). Alterações das concentrações plasmáticas de zinco nas crianças e adolescentes gravemente doentes com sepse grave e choque séptico. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Delgado AF. Alterações das concentrações plasmáticas de zinco nas crianças e adolescentes gravemente doentes com sepse grave e choque séptico. 2015 ;
    • Vancouver

      Delgado AF. Alterações das concentrações plasmáticas de zinco nas crianças e adolescentes gravemente doentes com sepse grave e choque séptico. 2015 ;