Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Dostoiévski e a dialética: fetichismo da forma, utopia como conteúdo (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: VASSOLER, FLÁVIO RICARDO - FFLCH
  • USP Schools: FFLCH
  • Subjects: LITERATURA RUSSA; TEORIA CRÍTICA; DIALÉTICA; POLIFONIA; FILOSOFIA DA HISTÓRIA
  • Keywords: Cicatrização do espírito; Commodity; Fetichismo da mercadoria; Healing of the spirit
  • Language: Português
  • Abstract: Esta tese tem como objetivo a análise e interpretação do sentido histórico, estético, político e literário das tensões dialéticas expostas na obra do escritor russo Fiodor Dostoiévski. Na primeira parte (tese), Dostoiévski e o fetichismo da forma mercadoria, a análise da obra de Dostoiévski nos leva às tensões e às afinidades eletivas que enredam duas vertentes: a polifonia proposta pelo crítico russo Mikhail Bakhtin (1895-1975), em Problemas da Poética de Dostoiévski (1929/1963), e a dialética materialista, sobretudo a partir da Teoria Estética (1968), do autor frankfurtiano Theodor Adorno (1903-1969). Trata-se de totalizar as aporias do concerto polifônico, de modo que, dialeticamente, o transcurso analítico desvele a mimese imanente da forma mercadoria como o sentido histórico-tautológico da forma dostoievskiana, sobretudo a partir de Memórias do Subsolo (1864). Na segunda parte (antítese), O conteúdo em Dostoiévski como a cicatrização do espírito rumo à utopia?, procuramos estruturar a filosofia da história que transpassa a obra do escritor russo. Os diálogos dostoievskianos envolvendo socialismo e cristianismo nos fazem correlacionar as discussões estabelecidas nesse sentido em Recordações da Casa dos Mortos (1862), Notas de Inverno sobre Impressões de Verão (1863), Memórias do Subsolo (1864), Crime e Castigo (1866), O Idiota (1869), Os Demônios (1872) e, fundamentalmente, em dois capítulos de Os Irmãos Karamázov (1879): A Revolta e O Grande Inquisidor. Ao fim e ao caboe como um prenúncio de superação (Aufhebung) o conteúdo dostoievskiano da história como o movimento dialético rumo à utopia nos faz colocar em diálogo o conto O sonho de um homem ridículo (1877) com o conceito de cicatrização do espírito, que o filósofo alemão Georg Wilhelm Friedrich Hegel (1770- 1831) desenvolve em sua Filosofia da História (1837).
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.12.2015
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FFLCH20900173107T VASSOLER, FLÁVIO RICARDO 2015
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VASSOLER, Flávio Ricardo; ALMEIDA, Jorge Mattos Brito de. Dostoiévski e a dialética: fetichismo da forma, utopia como conteúdo. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8151/tde-11042016-110905/ >.
    • APA

      Vassoler, F. R., & Almeida, J. M. B. de. (2015). Dostoiévski e a dialética: fetichismo da forma, utopia como conteúdo. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8151/tde-11042016-110905/
    • NLM

      Vassoler FR, Almeida JMB de. Dostoiévski e a dialética: fetichismo da forma, utopia como conteúdo [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8151/tde-11042016-110905/
    • Vancouver

      Vassoler FR, Almeida JMB de. Dostoiévski e a dialética: fetichismo da forma, utopia como conteúdo [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8151/tde-11042016-110905/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: