Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Análise do piscar espontâneo em sujeitos com cegueira bilateral por glaucoma primário de ângulo aberto (2015)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: IBRAHIM, FUAD MORAES - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Subjects: GLAUCOMA; CEGUEIRA; DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS
  • Language: Português
  • Abstract: Os efeitos de longo prazo da cegueira por glaucoma sobre a atividade do piscar espontâneo (PE) ainda não foram descritos. Assim, o objetivo deste estudo foi analisar a atividade do PE em pacientes com cegueira relacionada ou não ao glaucoma primário de ângulo aberto (GPAA) e em sujeitos normais. A técnica magnetic search coil foi aplicada para o registro da atividade do PE de 14 sujeitos normais com [média±desvio padrão (DP) da idade] 59,1±7,6 anos, de 12 pacientes cegos por GPAA com 67,6±9,9 anos e de 10 pacientes cegos por outras causas oculares não glaucomatosas, com 62,7±10,9 anos. Os pacientes foram considerados cegos quando apresentaram a melhor acuidade visual corrigida pior que 1,0 logaritmo do ângulo mínimo de resolução (logMAR) no melhor olho. A avaliação da superfície ocular foi realizada com exames em lâmpada de fenda, teste de Schirmer, estesiometria e tempo de quebra do filme lacrimal. A fim de evitar fatores de confusão relacionados à superfície ocular, os dados foram colhidos após anestesia tópica bilateral com proximetacaína 0,5%, durante cinco minutos. As análises da atividade do PE foram realizadas por meio de comparações da amplitude, velocidade máxima, duração, main sequence, intervalo entre piscadas e taxa do PE, entre os grupos. Os pacientes cegos por GPAA apresentaram médias significativamente menores que as observadas nos sujeitos normais na taxa do PE (média±DP: 12,1±8,7 piscadas/min vs 21,1±7,2 piscadas/min; p=0,005), velocidade máxima (497,8±188,8 o/s vs 727,3±234,1 o/s; p=0,01) e amplitude (22,3±6,9o vs 30,3±7,2o; p=0,02); e maiores, porém sem diferença significativa, na duração do piscar (202,77±53,1 ms vs 197,8±30,5 ms; p=0,9) e no intervalo entre piscadas (3,8±7,3 s vs 2,8±4,5 s; p=0,2). Não foram evidenciadas diferenças significativas entre os pacientes cegos por GPAA e os cegos por outras causas na taxa do PE(8,0±5,5 pisacadas/min; p=0,4), no intervalo entre piscadas (8,9±5,8 s; p=0,4), na amplitude (24,2±7,3o; p=0,8) e na velocidade máxima (531,5±128,4 o/s; p=0,8). Também não houve diferença significativa entre os indivíduos dos três grupos nas outras características do piscar estudadas, assim como nos parâmetros relacionados à superfície ocular. Os resultados deste estudo demonstraram que a cegueira está associada a alterações na atividade do PE. De forma particular, a cegueira associada ao GPAA se relacionou a maiores alterações da dinâmica do PE, fato que aponta para uma possível associação desta doença com áreas do sistema nervoso central envolvidas no processo gerador do piscar
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 30.06.2015

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200067829Ibrahim, Fuad Moraes
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      IBRAHIM, Fuad Moraes; PAULA, Jayter Silva de. Análise do piscar espontâneo em sujeitos com cegueira bilateral por glaucoma primário de ângulo aberto. 2015.Universidade de São Paulo, Riberão Preto, 2015.
    • APA

      Ibrahim, F. M., & Paula, J. S. de. (2015). Análise do piscar espontâneo em sujeitos com cegueira bilateral por glaucoma primário de ângulo aberto. Universidade de São Paulo, Riberão Preto.
    • NLM

      Ibrahim FM, Paula JS de. Análise do piscar espontâneo em sujeitos com cegueira bilateral por glaucoma primário de ângulo aberto. 2015 ;
    • Vancouver

      Ibrahim FM, Paula JS de. Análise do piscar espontâneo em sujeitos com cegueira bilateral por glaucoma primário de ângulo aberto. 2015 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: