Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Da ninguendade à humilhação social: (trans)figuração imagética do vazio e sua correlação com os direitos socioassistenciais à partir da arte na narrativa fílmica de Sérgio Bianchi - contribuições para uma reflexão jurídico-crítica (2016)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: OLIVEIRA, ANA PAULA POLACCHINI DE - FD
  • USP Schools: FD
  • Sigla do Departamento: DFD
  • Subjects: FILOSOFIA DO DIREITO; ASSISTÊNCIA SOCIAL; POLÍTICA SOCIAL; DESIGUALDADES SOCIAIS; IGUALDADE SOCIAL; CIDADANIA; FILME EDUCATIVO
  • Keywords: Philosophy of Law (law and Art); Cinema (Sérgio Bianchi); Nobodyness; Humiliation; Socialassistance Rights
  • Language: Português
  • Abstract: Este trabalho remete seus esforços para uma investigação que indaga a possibilidade de relacionar direito e arte e recai numa análise, com afecção, de parcela da produção do cinema nacional de Sérgio Bianchi, que lhe serve de material, para questionar sobre o modo como esse cinema pode fazer cruzar, sentir, pensar, revelar e comunicar algumas concepções multidimensionais: o sentimento de ninguendade apontado por Darcy Ribeiro, que se constituiu no processo de formação de uma identidade do povo brasileiro e se supõe estar presente na sua estrutura; a relação deste sentimento com a humilhação social e política delineados por José Moura Gonçalves Filho, um rebaixamento estabilizado e cotidiano e que decorre de um processo histórico, bem como os desdobramentos das aferições feitas a esse respeito na compreensão daqueles que são denominados direitos sociassistenciais. O método aqui, concebido no sentido de caminho, é trilhado a partir da analítica fundamental de Martin Heidegger, e da hermenêutica compreensiva de Hans-Georg Gadamer, percebidas sob o viés fenomenológico de investigação e da noção heideggeriana de obra de arte. Essa perspectiva situa o jurídico como constitutivo do ser humano que ex-siste no mundo, Dasein. Este ser é ontológico, indaga sobre sua existência, manifesta-se de diversos modos e coloca-se em obra, em permanente e renovado questionamento em sua abertura essencial. O cinema é obra de arte aberta à reflexão, campo vasto de significações e que revela os modos de ser do humano em sua existência no mundo, que é jurídica, social e política. O método fenomenológico é filosófico e assume um caráter inter, senão transdisciplinar, ao propor a produção de conhecimento para conectar saberes para além das disciplinas. Figuram como objetivos do trabalho refletir sobre uma possível relação entre direito e arte, a partir do cinema, de modo a proporpropor contato entre noções apartadas pela razão e emoção, analisar o cinema de modo a produzir aberturas, fazer uso do pensamento de Heidegger e Gadamer ante a existência cotidiana e deles colher reflexões, trazendo-os à superfície, promover sincretismos a partir da conexão entre conceitos até então não relacionados e propor ações jurídicas menos racionais de intervir no modo de ser cotidiano. Dentre os resultados estão a realização de oficinas de direitos socioasssitenciais em unidades públicas de oferta de serviços de assistência social, a realização de uma intervenção artística em um evento da assistência social com a produção de um vídeoarte e a integração deste vídeo em um curta-metragem documental sobre o direito à assistência social. Conclui-se que Bianchi propõe um cinema social e politico, que o povo brasileiro e o direito à assistência social ainda se encontram mergulhados na ninguendade e na condição de rebaixamento decorrentes da humilhação social como humilhação política. Essa condição provoca ressonâncias na doutrina, no cinema e nos modos de manifestação sociais e que dialogam entre si. A imersão não é estática ou sequer permanente. Tanto o povo, como o direito à assistência social tem emergido em um refazimento que vem à superfície e se reinventa no cotidiano para gradativamente propor modos de superar essa tradição estrutural que ainda condiciona
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.04.2016

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FD20400205157T14-10-31 DBC
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OLIVEIRA, Ana Paula Polacchini de; OLIVEIRA, Mara Regina de. Da ninguendade à humilhação social: (trans)figuração imagética do vazio e sua correlação com os direitos socioassistenciais à partir da arte na narrativa fílmica de Sérgio Bianchi - contribuições para uma reflexão jurídico-crítica. 2016.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.
    • APA

      Oliveira, A. P. P. de, & Oliveira, M. R. de. (2016). Da ninguendade à humilhação social: (trans)figuração imagética do vazio e sua correlação com os direitos socioassistenciais à partir da arte na narrativa fílmica de Sérgio Bianchi - contribuições para uma reflexão jurídico-crítica. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Oliveira APP de, Oliveira MR de. Da ninguendade à humilhação social: (trans)figuração imagética do vazio e sua correlação com os direitos socioassistenciais à partir da arte na narrativa fílmica de Sérgio Bianchi - contribuições para uma reflexão jurídico-crítica. 2016 ;
    • Vancouver

      Oliveira APP de, Oliveira MR de. Da ninguendade à humilhação social: (trans)figuração imagética do vazio e sua correlação com os direitos socioassistenciais à partir da arte na narrativa fílmica de Sérgio Bianchi - contribuições para uma reflexão jurídico-crítica. 2016 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019