Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Magnetismo de um espeleotema do centro-oeste do Brasil e suas implicações paleoclimáticas (2016)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: JAQUETO, PLINIO FRANCISCO - IAG
  • USP Schools: IAG
  • Sigla do Departamento: AGG
  • Subjects: MAGNETISMO; PALEOCLIMATOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: Esta fase fornece um estudo detalhado do magnetismo ambiental de espeleotemas. Este estudo é feito em uma estalagmite da caverna Pau D'Alho (15° 12'20"S, 56° 48'41"W), localizado em Rosario d'Oeste, Mato Grosso, Brasil. Este espeleotema cresceu durante os últimos 1355 anos, com taxa média de crescimento de ~168mm/ka e engloba dois eventos climáticos do Sistema de Monção Sul-americano (SMSA), a Anomalia Climática do Medieval (ACM) e a Pequena Idade do Gelo (PIG), eventos secos e molhados, respectivamente. Os experimentos de magnetismo de rocha incluem: magnetização remanecte isotermal (MRI), ciclos de histerese, magnetização remanente anisterética (MRA), desmagnetização térmica em três eixos, first order reversal curves (FORC) e experimentos de baixa temperatura. Os principais portadore magnéticos na estalagmite são magnetita e goethita, com uma proporção relativa quase constante. A magnetita tem coercividades entre 14-17 mT, e as suas propriedades magnéticas são semelhantes às produzidas por processos pedogênicos. As remanências magnéticas são amplamente correlacionadas com dados de isótopos de carbono e oxigênio durante o registro, sugerindo que a precipitação e a dinâmica do solo acima da caverna exerce um forte controle na entrada de minerais magnéticos no sistema de cavernas Pau d'Alho. Períodos secos como o ACM estão associados a solos menos estáveis, que resultam em maiores fluxos de minerais detríticos carreados para o sistema de cavernas, ao passo que, inversamente, os períodos frios e chuvosos como a LIA estão associados a solos cobertos pela vegetação mais densa que são mais capazes de reter minerais pedogênicos de escala micrométrica, e, assim, diminuir os fluxos de minerais detríticos para o sistema de cavernas.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.09.2016

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IAG2829018-20CD-ROM 1579 Versão Original
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      JAQUETO, Plinio Francisco; TRINDADE, Ricardo Ivan Ferreira da. Magnetismo de um espeleotema do centro-oeste do Brasil e suas implicações paleoclimáticas. 2016.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.
    • APA

      Jaqueto, P. F., & Trindade, R. I. F. da. (2016). Magnetismo de um espeleotema do centro-oeste do Brasil e suas implicações paleoclimáticas. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Jaqueto PF, Trindade RIF da. Magnetismo de um espeleotema do centro-oeste do Brasil e suas implicações paleoclimáticas. 2016 ;
    • Vancouver

      Jaqueto PF, Trindade RIF da. Magnetismo de um espeleotema do centro-oeste do Brasil e suas implicações paleoclimáticas. 2016 ;