Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Determinantes da incapacidade funcional de idosos da cidade de São Paulo na perspectiva étnico-racial (2017)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SILVA, ALEXANDRE DA - FSP
  • USP Schools: FSP
  • Sigla do Departamento: HSP
  • Subjects: DESIGUALDADES EM SAÚDE; ENVELHECIMENTO; DESIGUALDADES SOCIAIS; GRUPOS ÉTNICOS; RACISMO; CAPACIDADE FUNCIONAL; SAÚDE DO IDOSO; FATORES SOCIOECONÔMICOS; CONDIÇÕES DE SAÚDE; MODO DE VIDA; DEMOGRAFIA EM SAÚDE PÚBLICA
  • Keywords: Aging; Desigualdade em Saúde; Disabled Persons; Ethnicity and Health; Health Inequalities; Incapacidade Funcional; Iniquidade Social; Raça e Saúde; Race or Ethnic Group Distribution; Racism; Social Inequity
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: No Brasil, a desigualdade social é um problema que precisa de enfrentamento mais efetivo e respeito às particularidades dos diversos grupos sociais. O envelhecimento no município de São Paulo, numa perspectiva étnico-racial, ainda é pouco conhecido e não se sabe o quanto os determinantes sociais de saúde influenciam desfechos de saúde nesta população. Medir a incapacidade funcional em idosos é um indicador universalmente admitido para se diagnosticar condições de saúde. O presente estudo levanta a hipótese de que há diferenças na prevalência de incapacidades funcionais entre idosos de diferentes estratos raciais. Objetivos: Identificar os fatores determinantes da incapacidade funcional de idosos, considerando a condição raça/cor da pele e descrever os perfis de incapacidade funcional de idosos de acordo com as variáveis demográficas, socioeconômicas e modo de vida, na perspectiva étnico-racial e quanto a incapacidade funcional. Método: Realizou-se um estudo transversal com a coorte de 2010 do Estudo Saúde e Bem-Estar e Envelhecimento (SABE), considerando três desfechos para a variável dependente incapacidade funcional: déficit de mobilidade funcional, dificuldade nas Atividades Básicas ou Instrumentais de Vida Diária (ABVD e AIVD, respectivamente). A variável de análise foi a raça/cor da pele e as variáveis independentes foram as demográficas, socioeconômicas e modo de vida. Para a análise estatística, utilizaram-se o teste qui-quadrado com o fator de correção deRao-Scott e modelos de regressão de Poisson (para a variável raça cor categorizada em negros e brancos) e regressão logística multinomial (para a variável raça/cor categorizada em pretos, pardos e brancos). A medida de associação escolhida foi a Razão de Prevalência (RP). Resultados: Foram considerados 1263 idosos para esta análise: 62 por cento brancos, 30,9 por cento pardos e 7,1 por cento pretos que, após os procedimentos de ponderação passaram a representar a população de 1.244.372 pessoas idosas, dos quais, 771.510 brancos, 384.511 pardos e 88.350 pretos do município de São Paulo. As características demográficas, socioeconômicas e modo de vida mostraram diferenças estatisticamente significantes e piores para pretos e pardos, na maioria das vezes. Ser do sexo feminino, ter 80 ou mais anos de idade, estar viúvo, não saber ler ou escrever, ter baixa escolaridade (até 4 anos de estudo), não estar trabalhando e nunca convidar pessoas para virem à sua casa ou sair para lugares públicos estiveram estatisticamente associadas ao déficit de mobilidade funcional ou à dificuldade em uma ou mais ABVD ou AIVD. Nos modelos de regressão, ser preto teve maior RP nos desfechos de déficit de mobilidade e dificuldade em 2 ou mais AIVD, enquanto que a RP foi maior para pardos quando o desfecho foi dificuldade em 2 ou mais ABVD. Discussão: As diferenças não puderam ser explicadas apenas em função das condições demográficas, socioeconômicas e modo de vida dos diferentes grupos raciais,suscitando que a iniquidade em saúde e o racismo no campo da saúde estiveram presentes nas desigualdades sistemáticas encontradas nos grupos raciais investigados. Conclusão: As desigualdades encontradas entre as categorias raciais apontaram para situações sistemáticas de desvantagens para idosos pardos e, principalmente, idosos pretos. Racismo e iniquidade em saúde foram as condições explicativas dessas desigualdades
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 13.03.2017
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FSP11800054516Dr^1365^revisada
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Alexandre da; ANTUNES, Jose Leopoldo Ferreira. Determinantes da incapacidade funcional de idosos da cidade de São Paulo na perspectiva étnico-racial. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6143/tde-05072017-100217/ >.
    • APA

      Silva, A. da, & Antunes, J. L. F. (2017). Determinantes da incapacidade funcional de idosos da cidade de São Paulo na perspectiva étnico-racial. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6143/tde-05072017-100217/
    • NLM

      Silva A da, Antunes JLF. Determinantes da incapacidade funcional de idosos da cidade de São Paulo na perspectiva étnico-racial [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6143/tde-05072017-100217/
    • Vancouver

      Silva A da, Antunes JLF. Determinantes da incapacidade funcional de idosos da cidade de São Paulo na perspectiva étnico-racial [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6143/tde-05072017-100217/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: