Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Pensar sem apoios: Hannah Arendt e a vida do espírito como política do pensar (2017)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: NOVAES, ADRIANA CARVALHO - FFLCH
  • USP Schools: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLF
  • Subjects: FILOSOFIA CONTEMPORÂNEA; PENSAMENTO CRÍTICO
  • Keywords: Judging; Julgar; Life of the mind; Pensar; Política do pensar; Politics of thinking; Querer; Thinking; Vida do espírito; Willing
  • Language: Português
  • Abstract: Esta tese tem como objetivo mostrar que as atividades do espírito às quais Hannah Arendt se dedicou nos últimos anos de vida foram elaboradas ao longo de toda a sua obra. Para isso, as apropriações do pensamento de Immanuel Kant foram decisivas, assim como a crítica às reduções identificadas na interpretação das experiências da história principalmente pelo pensamento moderno. O método de Arendt é destacado e consiste na identificação da origem e interpretação das experiências que geraram significados e como esses significados foram transformados pelo distanciamento das origens ou pela escolha de uma abordagem limitada de negação do caráter contingente dos assuntos humanos. A história da maneira pela qual princípios da filosofia foram tomados e o reexame desses sentidos atribuídos à experiência dirigem os esforços de Arendt para a elaboração de uma política do pensar, fundamentada na defesa da espontaneidade e da resistência que a ação exige de nossas faculdades no contexto violento do século XX, cenário este que contaminou a compreensão da política pela experiência inédita do mal do totalitarismo. A partir da crítica à funcionalização, às falácias metafísicas e aos conceitos totalizantes e personalizados, Arendt combate a negação da filosofia e busca conciliar pensamento e ação pela redefinição das atividades do espírito e pela defesa da contingência e da imprevisibilidade da história. Assim, as atividades do espírito o pensamento, a vontade e o juízo ganham estatutoontológico, pois afirmados como transcendentes e constitutivos do modo pelo qual o ser humano estabelece e compartilha sua existência e as atribuições de significado. A afirmação da vida do espírito por Arendt se dá como um pensar sem apoios, o que significa a compreensão da filosofia como interpretação da realidade que não se deixa determinar por quaisquer explicações universalizantes sejam advindas da natureza, de teorias ou ideologias. A filosofia de Arendt é um pensar sem apoios na afirmação da insegurança do pensamento filosófico como uma política do pensar.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.04.2017

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FFLCH20900179991T NOVAES, ADRIANA CARVALHO 2017
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NOVAES, Adriana Carvalho; KEINERT, Maurício Cardoso. Pensar sem apoios: Hannah Arendt e a vida do espírito como política do pensar. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.
    • APA

      Novaes, A. C., & Keinert, M. C. (2017). Pensar sem apoios: Hannah Arendt e a vida do espírito como política do pensar. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Novaes AC, Keinert MC. Pensar sem apoios: Hannah Arendt e a vida do espírito como política do pensar. 2017 ;
    • Vancouver

      Novaes AC, Keinert MC. Pensar sem apoios: Hannah Arendt e a vida do espírito como política do pensar. 2017 ;