Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Interações e relações de bebês em contextos de acolhimento familiar e institucional (2017)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MOURA, GABRIELLA GARCIA - FFCLRP
  • USP Schools: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 594
  • Subjects: DESENVOLVIMENTO INFANTIL; BEBÊS; INTERAÇÃO SOCIAL (COMPORTAMENTO SOCIAL); PROTEÇÃO À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE
  • Language: Português
  • Abstract: Serviço de acolhimento é a atual denominação das medidas de proteção a crianças e adolescentes que estão afastados da família de origem. Contudo, a literatura científica sobre crianças acolhidas pouco tem discutido sobre a experiência dos bebês nesses contextos, o que vai ao encontro de uma tradição histórica no Brasil de invisibilidade dos bebês na arena pública, a qual se desdobra na precariedade e desigualdade na prestação de benefícios e em flagrantes violações dos seus direitos. Frente a esse panorama e partindo de uma perspectiva histórico-cultural, que considera as interações da pessoa com seu meio e seus outros sociais como pilares sobre os quais se estruturam e se desenvolvem complexas funções do psiquismo humano, o presente estudo objetivou conduzir estudos de casos exploratórios para verificar como se constituem as interações e relações de bebês que participam de dois diferentes contextos de acolhimento (familiar e institucional). Sustentando-se na preocupação ética na pesquisa com seres humanos, foram acompanhados, longitudinalmente, três bebês em cada contexto de acolhimento, compondo uma amostra não-probabilística (por conveniência), sendo que para discussão dos resultados, no presente trabalho, optou-se pela apresentação dos casos de quatro bebês, cujos nomes fictícios são Nicolas (de I a 3 meses de idade) e Cecília (de 6 a 11 meses) no acolhimento familiar; e, Luíza (dos 3 aos 5 meses de idade) e Antônio (4 a 6 meses) na instituição. A principal via metodológica consistiu em videogravações semanais com duração média de 30 minutos por bebé, totalizando cerca de 30 horas de gravação das crianças. Para a análise, foi realizada observação sistemática das videogravações, sendo mapeados a cada 10 segundos: a composição do campo interativo potencial, os tipos de interações estabelecidas (regulações ouco-regulações), os recursos interativos (visuais, vocais, afetivos, corporais e gestuais) e enredos interativos (cuidados básicos, atividades conjuntas, afetuosos, entre outros). Os resultados mostraram diversos arranjos nas relações de cada bebé acolhido. Mas destacam-se alguns pontos convergentes e divergentes, como por exemplo: na família acolhedora, a presença da mãe acolhedora, no campo interativo, era uma constante; observou-se maior amplitude de recursos e enredos interativos que se intervalavam ou se sobrepunham, sendo que os principais recursos interativos foram os visuais, gestuais e vocais e os enredos interativos variaram entre atividades conjuntas, situações de ensino-aprendizagem e cuidados básicos. Já na instituição acolhedora, o campo interativo variou conforme o turno de trabalho de cada uma das três cuidadoras. O principal recurso interativo foi o corporal; e os enredos eram exclusivamente característicos de cuidados básicos. Como estudo exploratório, não se buscou comparar os processos, inclusive pela diferença de idade das crianças. Porém, discutiu-se como o entrelaçamento dos aspectos estruturais, históricos e culturais poderiam estar compondo tais diferenças nos sistemas de relações de bebês em acolhimento. Buscou-se evidenciar o papel educativo do cuidador bem como a importância de vivências compartilhadas para a apreensão de signos e para construção de relações vinculares. Ressalta-se a necessidade de formação continuada dos cuidadores/educadores, quanto ao papel da relação com a criança e da mediação semiótica, favorecendo interações e experiências variadas das quais emerjam novas habilidades e aprendizagens
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.05.2017

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FCLRP20800050923Moura, Gabriella Garcia
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MOURA, Gabriella Garcia; AMORIM, Kátia de Souza. Interações e relações de bebês em contextos de acolhimento familiar e institucional. 2017.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2017.
    • APA

      Moura, G. G., & Amorim, K. de S. (2017). Interações e relações de bebês em contextos de acolhimento familiar e institucional. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Moura GG, Amorim K de S. Interações e relações de bebês em contextos de acolhimento familiar e institucional. 2017 ;
    • Vancouver

      Moura GG, Amorim K de S. Interações e relações de bebês em contextos de acolhimento familiar e institucional. 2017 ;