Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Perda de sinal na sequência "em-fase" da técnica desvio químico, por ressonância magnética, como critério diagnóstico do carcinoma de células renais, na diferenciação com angiomiolipomas pobres em gordura (2017)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: LIMA JUNIOR, FRANCISCO VALTENOR ARAUJO - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Subjects: RIM; CÉLULAS; CARCINOMA
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO: Neste estudo, avaliou-se a perda de sinal em sequências GRE "emfase", da técnica desvio químico, na diferenciação entre CCR e AML. Na prática clínica, ainda é difícil a diferenciação entre neoplasias renais benignas e malignas, devido à ausência de critérios por imagem bem definidos. Espera-se que o uso de métodos não invasivos possa otimizar o manejo clínico em tais casos, evitando condutas mais agressivas e potencialmente mórbidas. MATERIAIS E MÉTODOS: Este foi um estudo retrospectivo, que incluiu apenas casos confirmados de CCR e pgAML. Dois radiologistas analisaram as imagens, qualitativa e quantitativamente, calculando o Indice de Intensidade de Sinal, como segue: [(ISEF - ISFF) / ISFF] X 100, em que ISEF denota a intensidade de sinal em imagens "em-fase" e ISFF, em imagens Fora-de-fase". Por fim, aplicamos aos resultados testes de associação e ROCs. RESULTADOS: A análise qualitativa mostrou focos de redução de sinal "emfase" em 15 lesões, todas CCR, sendo 8 ccCCR (8/21, 38,1%), 4 pCCR (4/10, 40%) e 3 crCCR (3/8, 37,5%). Nenhum pgAML apresentou o achado, em análise qualitativa, que teve especificidade de 100% no diagnóstico de CCR (IC95%: 71,1100), porém baixa sensibilidade, 38,4% (IC95%: 23,4-55,4). A análise quantitativa não mostrou diferença significativa entre os grupos CCR e AML. A abordagem pela curva ROC confirmou a baixa acurácia diagnóstica da análise quantitativa, para ambos os observadores. Identificamos o valor de 5% como melhor nível de corte para distinção entre CCR e AML. CONCLUSÃO: A análise da perda de sinal, nas sequências "em- fase", permite a distinção entre CCR e pgAML com grande especificidade, confirmando que esse achado pode ser utilizado, em conjunto com outros parâmetros, para melhorar a acuidade diagnóstica da ressonância magnética
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 01.06.2017
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200069171Lima Júnior, Francisco V. Araújo
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LIMA JÚNIOR, Francisco Valtenor Araújo; MUGLIA, Valdair Francisco. Perda de sinal na sequência "em-fase" da técnica desvio químico, por ressonância magnética, como critério diagnóstico do carcinoma de células renais, na diferenciação com angiomiolipomas pobres em gordura. 2017.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17158/tde-12042018-113913/ >.
    • APA

      Lima Júnior, F. V. A., & Muglia, V. F. (2017). Perda de sinal na sequência "em-fase" da técnica desvio químico, por ressonância magnética, como critério diagnóstico do carcinoma de células renais, na diferenciação com angiomiolipomas pobres em gordura. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17158/tde-12042018-113913/
    • NLM

      Lima Júnior FVA, Muglia VF. Perda de sinal na sequência "em-fase" da técnica desvio químico, por ressonância magnética, como critério diagnóstico do carcinoma de células renais, na diferenciação com angiomiolipomas pobres em gordura [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17158/tde-12042018-113913/
    • Vancouver

      Lima Júnior FVA, Muglia VF. Perda de sinal na sequência "em-fase" da técnica desvio químico, por ressonância magnética, como critério diagnóstico do carcinoma de células renais, na diferenciação com angiomiolipomas pobres em gordura [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17158/tde-12042018-113913/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: