Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Frequência de uso e tempo para administração dos medicamentos utilizados no tratamento da síndrome coronariana aguda em um hospital secundário: uma análise da estratégia de registro em insuficiência coronariana (ERICO) (2017)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SANTOS, RAFAEL CAIRê DE OLIVEIRA DOS - FM
  • USP Schools: FM
  • Sigla do Departamento: MCM
  • Subjects: FÁRMACOS DO SANGUE E SISTEMA HEMATOPOÉTICO; SEGUIMENTOS; ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE; SÍNDROME CORONARIANA AGUDA; PREVENÇÃO DE DOENÇAS; ESTUDOS DE CASOS E CONTROLES
  • Keywords: Acute coronary syndrome; Aspirin; Drug therapy; Primary health care; Time-to-treatment; Tratamento farmacológico; Withholding treatment
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO: A síndrome coronariana aguda (SCA) é uma das manifestações clínicas da doença arterial coronariana. A Estratégia de Registro em Insuficiência Coronariana (ERICO) é uma coorte de indivíduos atendidos no Hospital Universitário da Universidade de São Paulo por SCA. O presente trabalho teve por objetivo descrever a frequência de uso o tempo para administração dos medicamentos habitualmente usados no tratamento das SCA nos participantes do estudo ERICO. MÉTODOS: Foram incluídos 746 participantes ERICO, entre fevereiro de 2009 e dezembro de 2012 que procuraram diretamente o hospital (N=656) ou que se dirigiram inicialmente a unidades de atenção primária à saúde (APS; N=90). Avaliamos o tempo do contato médico ao tratamento com aspirina, clopidogrel, heparina e trombolíticos, de acordo com a unidade de primeiro contato, utilizando modelos de regressão logística. Posteriormente, foram revisados os prontuários de 563 (85,8%) participantes que vieram diretamente ao hospital, e descritas as frequências de administração de aspirina, clopidogrel, heparinas, betabloqueadores, inibidores da enzima conversora de angiotensina (IECA) / bloqueadores dos receptores da angiotensina II (BRA), estatinas, nitratos e morfina. Os motivos de não-administração ou suspensão da aspirina, clopidogrel, heparinas, betabloqueadores e IECA/BRA foram obtidos dos registros em prontuário. RESULTADOS: Observamos que 93,6%, 86,1% e 86,5% dos participantes do estudo receberam aspirina, clopidogrel eheparina, respectivamente, durante as primeiras 24 horas de internação. Em modelos ajustados, indivíduos encaminhados de unidades de APS tinham mais chance de receber aspirina nas primeiras 3 horas (Razão de chances [RC]: 3,65; intervalo de confiança de 95% [IC95%]: 2,04-6,52), mas menor chance de receber heparina (RC: 0,32; IC95%: 0,16-0,62) ou clopidogrel (RC: 0,49; IC95%: 0,29-0,83) no mesmo intervalo de tempo. Entretanto, 24,4% dos participantes encaminhados das unidades de APS não receberam aspirina antes da transferência ao hospital. A não administração de aspirina, clopidogrel e heparina ao longo da internação foi um evento raro, e geralmente ligada a um maior risco de sangramento. Os betabloqueadores não foram prescritos para 15,8% dos participantes, e a principal causa encontrada foi a insuficiência cardíaca descompensada. IECA/BRA não foram prescritos para 16,7%, e a principal causa foi choque ou hipotensão. Entretanto, as causas de não-administração (64,0%) e de suspensão (26,4%) frequentemente não estavam descritas. CONCLUSÕES: Em nosso estudo, participantes que primeiramente foram a unidades de atenção primária tiveram uma maior probabilidade de receber tratamento precoce com aspirina, em comparação aos participantes que foram diretamente ao hospital. Entretanto, proporção significativa não recebeu o medicamento antes da transferência, apontando espaço para potenciais melhorias no atendimento. A frequência do uso de medicamentos no estudo ERICO foi, em geral,igual ou superior à maior parte dos estudos encontrados. A falha de registro adequado dos motivos de não-administração e suspensão em prontuário foi um achado frequente, e que também aponta para oportunidade de aperfeiçoamento da assistência
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.10.2017
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FM2866176-10W4.DB8^SP.USP^FM-1^S238fr^2017
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANTOS, Rafael Cairê de Oliveira dos; SANTOS, Itamar de Souza. Frequência de uso e tempo para administração dos medicamentos utilizados no tratamento da síndrome coronariana aguda em um hospital secundário: uma análise da estratégia de registro em insuficiência coronariana (ERICO). 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5169/tde-03012018-110957/ >.
    • APA

      Santos, R. C. de O. dos, & Santos, I. de S. (2017). Frequência de uso e tempo para administração dos medicamentos utilizados no tratamento da síndrome coronariana aguda em um hospital secundário: uma análise da estratégia de registro em insuficiência coronariana (ERICO). Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5169/tde-03012018-110957/
    • NLM

      Santos RC de O dos, Santos I de S. Frequência de uso e tempo para administração dos medicamentos utilizados no tratamento da síndrome coronariana aguda em um hospital secundário: uma análise da estratégia de registro em insuficiência coronariana (ERICO) [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5169/tde-03012018-110957/
    • Vancouver

      Santos RC de O dos, Santos I de S. Frequência de uso e tempo para administração dos medicamentos utilizados no tratamento da síndrome coronariana aguda em um hospital secundário: uma análise da estratégia de registro em insuficiência coronariana (ERICO) [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5169/tde-03012018-110957/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: