Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Relação entre componentes de sintomas depressivos e variabilidade de frequência cardíaca (2017)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BORRIONE, LUCAS - FM
  • USP Schools: FM
  • Sigla do Departamento: MPS
  • Subjects: DEPRESSÃO; SISTEMA CARDIOVASCULAR; FREQUÊNCIA CARDÍACA; SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO; SISTEMA NERVOSO SIMPÁTICO; SISTEMA NERVOSO PARASSIMPÁTICO; BARORREFLEXO
  • Keywords: Autonomic nervous system; Baroreflex; Cardiovascular system; Depressive disorder; Heart rate; Parasympathetic nervous system; Sympathetic nervous system
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO: O transtorno depressivo maior (TDM) está associado à doença cardiovascular (DCV), possivelmente por alterações no sistema nervoso autônomo (SNA), dentre outros mecanismos. Um dos marcadores de atividade do SNA mais estudados na literatura é a variabilidade de frequência cardíaca (VFC), um índice de variação entre batimentos cardíacos. VFC elevada é sinal de um SNA saudável, enquanto VFC diminuída reflete inflexibilidade autonômica. Alguns estudos têm relatado uma relação entre o TDM e VFC reduzida, enquanto outros não confirmaram esses achados. Além de fatores de confusão, uma possível explicação para esta inconsistência é a complexidade da síndrome depressiva, composta por sintomas de vários domínios. Logo, alguns sintomas podem estar associados com VFC reduzida, enquanto outros portam nenhuma associação. Consequentemente, quando todos os sintomas são avaliados simultaneamente, as associações de sintomas depressivos específicos com VFC não seriam identificadas. Este estudo teve como objetivo investigar a relação entre VFC e componentes de sintomas depressivos a partir de dados de estudo previamente realizado na Universidade de São Paulo, entre 2010 e 2011. MÉTODOS: Neste estudo, foram analisados dados de 120 pacientes com TDM, com baixo risco de DCV, coletados na avaliação basal de um ensaio clínico duplo-cego e randomizado, avaliando o uso da estimulação transcraniana por corrente contínua versus cloridrato de sertralina para tratar o TDM. Para avaliação dagravidade do TDM, foram utilizadas a Escala de Depressão de Hamilton (HAM-D-17), a Escala de Depressão de MontgomeryÅsberg (MADRS) e o Inventário de Depressão de Beck-IA (BDI-IA). Os componentes de sintomas depressivos foram extraídos de cada escala através de análise de componentes principais. Para avaliar a VFC, foram utilizados 4 parâmetros: a raiz quadrada da média do quadrado das diferenças entre intervalos R-R normais adjacentes (RMSSD, ou root mean square of successive differences), alta frequência (HF, ou high frequency), baixa frequência (LF, ou low frequency) e baixa frequência/alta frequência (LF/HF, ou low frequency/high frequency), computados a partir de segmento de eletrocardiograma de 15 minutos de duração, em repouso. Para investigar a associação dos 4 parâmetros de VFC com os componentes de sintomas depressivos de cada escala, construíram-se equações de regressão linear múltipla, incluindo em cada equação um parâmetro de VFC como variável dependente e os componentes de sintomas depressivos das três escalas como variáveis independentes. O modelo foi ajustado para idade e gênero. Utilizouse o procedimento stepwise backward para atingir o modelo final, mantendo-se variáveis com p < 0,10. RESULTADOS: Baseando-se em análise de scree plot, foram extraídos 6 componentes da HAM-D-17, 2 da MADRS e 3 da BDI-IA. Após controle para idade e gênero, a análise por regressão linear múltipla revelou que o componente 4 da HAM-D-17 (humor depressivo, sentimentos de culpa,suicídio e trabalho e atividades) foi preditor de LF/HF e o componente 2 da MADRS (dificuldades de concentração, lassidão, incapacidade para sentir e pensamentos pessimistas) foi preditor de LF. CONCLUSÕES: Os resultados deste estudo corroboram a hipótese que a presença de certos componentes de sintomas depressivos, mas não todos, estão associados com mudanças na VFC. Não houve correção de significância estatística para múltiplas comparações, devendo este estudo ser considerado de natureza exploratória
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.10.2017
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FM2866181-20W4.DB8^SP.USP^FM-1^B744re^2017^Original
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BORRIONE, Lucas; FRAGUAS JUNIOR, Renerio. Relação entre componentes de sintomas depressivos e variabilidade de frequência cardíaca. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-04012018-101055/ >.
    • APA

      Borrione, L., & Fraguas Junior, R. (2017). Relação entre componentes de sintomas depressivos e variabilidade de frequência cardíaca. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-04012018-101055/
    • NLM

      Borrione L, Fraguas Junior R. Relação entre componentes de sintomas depressivos e variabilidade de frequência cardíaca [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-04012018-101055/
    • Vancouver

      Borrione L, Fraguas Junior R. Relação entre componentes de sintomas depressivos e variabilidade de frequência cardíaca [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-04012018-101055/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: