Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Fatores de risco ambientais e socioeconômicos associados com a leishmaniose (2017)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: VALERO, NERIDA NADIA HUAMAN - IB
  • USP Schools: IB
  • Sigla do Departamento: BIE
  • Subjects: ECOLOGIA DA PAISAGEM; LEISHMANIOSE VISCERAL; LEISHMANIOSE CUTÂNEA; LEISHMANIA; TRANSMISSÃO DE DOENÇAS; ZOONOSES POR PROTOZOÁRIOS; MUDANÇA CLIMÁTICA; RISCO AMBIENTAL
  • Keywords: Ambiente; Cutânea; Cutaneous; Environment; Leishmaniasis; Leishmaniose; Risco; Risk; São Paulo; São Paulo; Socioeconomic; Socioeconômico; Visceral; Visceral
  • Language: Português
  • Abstract: A leishmaniose é uma doença negligenciada causada por protozoários do gênero Leishmania. Esta doença é endêmica em regiões tropicais, áridas e Mediterrâneas afetando mais de 350 milhões de pessoas no mundo. A leishmaniose tem duas formas clínicas principais: visceral (LV) e tegumentar (LT). Sem tratamento médico LV é letal e a LT pode produzir deficiências graves devido à destruição do tecido mucoso nasal-oral. O ciclo de transmissão da Leishmania depende do vetor flebotomíneo (Diptera: Psychodidae); do hospedeiro, que pode ser qualquer mamífero infectado com o parasita; e do reservatório, que pode transmitir o parasita ao vetor, os três devem interagir num meio ambiente permissivo para que aconteça a transmissão da doença. A leishmaniose é uma antiga zoonose cujo ciclo de transmissão restringia-se em paisagens não modificadas, no entanto o desenvolvimento de assentamentos humanos aumentou o contato entre humanos e o ciclo de transmissão. Atualmente, a incidência da doença não só depende das condições ambientais que afetam ao vetor e o reservatório, mas também dependem das condições socioeconômicas das populações humanas. Para entender melhor como estes fatores afetam a transmissão da leishmaniose, este estudo objetiva: 1) Identificar as condições ambientais e fatores socioeconômicos que influenciam a transmissão da LV e a LT, considerando todas as regiões endêmicas tropicais, áridas e Mediterrâneas. 2) Entender como estes fatores influenciam a incidência da leishmaniose ecomo esta antiga zoonose tem se adaptado a novas condições de ambientes modificados pelo homem. No primeiro capítulo, realizamos uma revisão de literatura e foi proposto um modelo conceitual para LV e LT destacando as diferenças entre os fatores ambientais e socioeconômicos que influenciam o ciclo de transmissão em regiões tropicais, áridas e Mediterrâneas. A principal diferença está associada ao comportamento dos vetores de Leishmania e reservatórios da LV e LT e suas preferências por condições ambientais específicas de cada região; e também na possibilidade de adaptação a ambientes urbanos em países em desenvolvimento onde o baixo nível socioeconômico aumenta a vulnerabilidade ante a leishmaniose. No segundo capítulo, analisamos como os fatores ambientais afetam a transmissão da leishmaniose no estado mais rico de um país tropical, o Estado de São Paulo, no Brasil. Usamos modelos mistos generalizados para analisar as condições ambientais e socioeconômicas que influenciam a ocorrência e o número de casos de LV e LT no estado de São Paulo desde 1998 até 2015. Para LT, a ocorrência aumentou com áreas maiores de vegetação nativa, maior desigualdade econômica (Índice de Gini) e maiores precipitações média do inverno. Para LV, a ocorrência aumentou com um alto índice de desenvolvimento humano (IDH), grande numero de cabeças de gado, maiores temperaturas máximas anuais e maiores precipitações mínimas da primavera. O numero de casos tanto de LV quanto de LT aumentou com maiorestemperaturas médias anuais e somente os casos de LV aumentaram com as altas precipitações médias do outono. Estes resultados podem contribuir para predizer futuros picos da doença e desenvolver politicas publicas não só no Estado de São Paulo e também em outras regiões com características similares
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.12.2017
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IB12000028656D-1812
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VALERO, Nerida Nadia Huamán; URIARTE, Maria. Fatores de risco ambientais e socioeconômicos associados com a leishmaniose. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41134/tde-02042018-151715/ >.
    • APA

      Valero, N. N. H., & Uriarte, M. (2017). Fatores de risco ambientais e socioeconômicos associados com a leishmaniose. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41134/tde-02042018-151715/
    • NLM

      Valero NNH, Uriarte M. Fatores de risco ambientais e socioeconômicos associados com a leishmaniose [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41134/tde-02042018-151715/
    • Vancouver

      Valero NNH, Uriarte M. Fatores de risco ambientais e socioeconômicos associados com a leishmaniose [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41134/tde-02042018-151715/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: