Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Perfil da expressão dos retroví­rus endógenos humanos da famí­lia W em pacientes com esclerose múltipla (2018)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: NALI, LUIZ HENRIQUE DA SILVA - IMT
  • USP Schools: IMT
  • Subjects: ESCLEROSE MÚLTIPLA; RETROVIRIDAE; TRANSCRIÇÃO GÊNICA; SEQUENCIAMENTO GENÉTICO
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: A Esclerose Múltipla (EM) é uma doença autoimune desmielinizante que afeta drasticamente a capacidade motora, cognitiva, e sensitiva dos pacientes. Acreditase que o Retrovírus Endógeno Humano da família W (HERV-W) possa ter um papel na patogênese da doença. Assim, o objetivo deste trabalho foi analisar o transcriptoma desses indivíduos, e analisar os loci do HERV-W diferencialmente ativos. Materiais e Métodos: PBMC e soro de pacientes com EM em surto (GS), em condições avançadas (GA) e indivíduos saudáveis (GC) foram coletadas. Amplicons de envelope de HERV-W foram sequenciados em Ion Torrent e o RNAm foi sequenciado na plataforma Illumina HiSeq2500. Além da análise do HERV-W, análises de interação gênica foram feitas e citocinas inflamatórias e quimiocinas foram testadas. Resultados: Foram analisados 23 indivíduos com EM (16 GS e 7 GA) e 36 do GC. Os pacientes com EM apresentam 3x mais expressão de HERV-W do que os indivíduos controle. O sequenciamento de amplicon revelou que os grupos com EM apresentavam mais loci ativos do que o GC. Apesar limitações decorrentes de variações entre corridas, o transcriptoma demonstrou que o HERV-K11 era diferencialmente expresso no GS, e no GA, 19 HERVs estavam diferencialmente expressos. Loci novos e já descritos como ativos em outros estudos foram encontrados no presente trabalho. O perfil de interação gênica do GS demonstrou um caráter inflamatório, confirmados pela dosagem de citocinas, onde IL-6, IL-1?, TNF-?, IFN-? estavam elevadas nos indivíduos do GS. Já os indivíduos do GA apresentavam um perfil não inflamatório com vias de reparo neuronal inativadas.Conclusões: Os pacientes com EM apresentam maior nível de expressão e maior diversidade de expressão de HERV-W do que o GC. Apesar os perfis semelhantes de expressão, há loci diferencialmente expressos dependente do grupo estudado. Os pacientes com EM apresentam perfis distintos de expressão gênica onde os indivíduos GS apresentam um perfil inflamatório e no GA, um perfil neurodegenerativo.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.03.2018

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IMT340000046006430
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NALI, Luiz Henrique da Silva; ROMANO, Camila Malta. Perfil da expressão dos retroví­rus endógenos humanos da famí­lia W em pacientes com esclerose múltipla. 2018.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.
    • APA

      Nali, L. H. da S., & Romano, C. M. (2018). Perfil da expressão dos retroví­rus endógenos humanos da famí­lia W em pacientes com esclerose múltipla. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Nali LH da S, Romano CM. Perfil da expressão dos retroví­rus endógenos humanos da famí­lia W em pacientes com esclerose múltipla. 2018 ;
    • Vancouver

      Nali LH da S, Romano CM. Perfil da expressão dos retroví­rus endógenos humanos da famí­lia W em pacientes com esclerose múltipla. 2018 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: