Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

A atividade física e a qualidade vida do estudante de medicina no Brasil (2018)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: PELEIAS, MUNIQUE DIAS DE ALMEIDA - FM
  • USP Schools: FM
  • Sigla do Departamento: MCM
  • Subjects: QUALIDADE DE VIDA; ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS; MEDICINA; EXERCÍCIO FÍSICO; ATIVIDADE FÍSICA; MODO DE VIDA
  • Keywords: Estudantes de Medicina; Exercise; Medical students; Physical activity; Quality of life
  • Language: Português
  • Abstract: Objetivo: Avaliamos a associação entre o volume de de atividade física (VAF) realizado em hora de lazere a percepção da qualidade de vida em estudantes de medicina. Nossa hipótese foi que haveria uma associação entre o volume de atividade física em tempo de lazer e os domínios dos questionários de qualidade de vida. Métodos: Os dados foram avaliados a partir de uma amostra de 1350 de estudantes de medicina de 22 escolas brasileiras. As informações dos participantes incluiram respostas dos questionários de qualidade de vida da OMS-versão abreviada (WHOQOL-BREF), um questionário especifico de avaliação de qualidade de vida em estudantes de medicina (VERAS-Q), questões de auto avaliação da qualidade de vida global e no curso e questões sobre atividade física em hora de lazer. Conforme a quantidade de equivalentes metabólicos (METs) dispendido durante a atividade física, os voluntários foram distribuidos em quatro grupos conforme o volume de atividade físca: (a)nenhum V AF; (b)baixo VAF, 540 MET min/sem; (c) VAF moderado, from 541 to 1260 MET min/sem and (d)alto VAF, > 1261 MET min/sem. Resultados: quarenta por cento dos estudantes de medicina relataram nenhum VAF (46,0% das mulheres e 32,3% dos homens). Em contrapartida, 27,2% foram classificados no grupo de alto VAF (21,0% das mulheres e 34,2% dos homens). Encontramos associação positive entre volumes moderados e altos de VAF er melhor percepção da qualidade de vida em todos os questionários avaliados. Para os baixos VAF, essa associação também foi significativa para a maioriados domínios dos questionários avaliados com excessão do domínio físico(p=0,08) e relações sociais (p=0,26). Conclusão: Houve associação positiva entre o volume de atividade física em tempo de lazer e melhor percepção da qualidade de vida entre os estudantes de medicina. Observamos uma forte relação dose-efeito entre o VAF em tempo de lazer e a percepção da qualidade de vida dos estudantes de medicina tanto homens como mulheres
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.03.2018
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PELEIAS, Munique Dias de Almeida; MARTINS, Milton de Arruda. A atividade física e a qualidade vida do estudante de medicina no Brasil. 2018.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5169/tde-02072018-115705/ >.
    • APA

      Peleias, M. D. de A., & Martins, M. de A. (2018). A atividade física e a qualidade vida do estudante de medicina no Brasil. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5169/tde-02072018-115705/
    • NLM

      Peleias MD de A, Martins M de A. A atividade física e a qualidade vida do estudante de medicina no Brasil [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5169/tde-02072018-115705/
    • Vancouver

      Peleias MD de A, Martins M de A. A atividade física e a qualidade vida do estudante de medicina no Brasil [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5169/tde-02072018-115705/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: