Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Efeito do citral no choque endotoxêmico (2018)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BORGES, GABRIELA SILVA - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Subjects: FISIOLOGIA; CHOQUE SÉPTICO; CITOCINAS; PROSTAGLANDINAS; LIPOPOLISSACARÍDEOS
  • Keywords: Choque séptico; Citocinas inflamatórias; Lipopolissacarídeo; Lipopolysaccharide; proinflammatory cytokine; prostaglandinas; prostaglandins; Septic shock; Termorregulação; Thermoregulation
  • Language: Português
  • Abstract: A sepse é caracterizada por uma produção excessiva de mediadores inflamatórios, acompanhada de taquicardia e hipotensão. Experimentalmente, a administração de endotoxina (Lipopolissacarídeo, LPS) em doses relativamente elevadas induz choque endotoxêmico, sendo um bom modelo de estudo da sepse. Diversos grupos têm demonstrado ações antiinflamatórias e antitumorais do citral, um composto do óleo essencial de Cymbopogon citratus. Nosso laboratório demonstrou ação antipirética do citral em modelo de febre induzida por LPS, acompanhada de redução nos níveis de citocinas plasmáticas e de prostaglandina E² (PGE²) no plasma e área pré óptica do hipotálamo (POA), importante região termorregulatória. A hipótese testada neste trabalho foi a de que o nitral atenua a hipotensão provocada pela endotoxina, além de amenizar as alterações termoregulatórias. Todos os procedimentos foram executados de acordo com os princípios éticos de experimentação animal, aprovados pelo comitê de ética local (CEUA 2015.1 1214 58-2). Foi realizado o implante de canulas na artéria e veia femoral para registro da pressão arterial e administração de LPS (1,5 mg/kg) ou salina apirogênica 0,9% além do implante de datalogger na cavidade peritoneal de ratos Wistar, para registro da temperatura corporal. No dia do registro, 30 minutos antes da administração de LPS ou salina, os animais receberam citral (100 mg/kg) ou tween 80 a 1% (veículo) por via oral. Os parâmetros cardiovasculares e temperatura corporal foram registrados por 300 minutos após os respectivos tratamentos. Os valores de pressãoarterial média (PAM) e frequência cardíaca (FC) foram coletados a cada 10 minutos após o tratamento e a temperatura corporal foi registrada pelo datalogger em intervalos de 5 minutos. Em outro protocolo foi realizado apenas o implante de canula na veia femoral dos animais de todos os grupos para administração de LPS ou salina, coleta de sangue para dosagem de interleucina 6, PGE² nitrilo e nitrato e corticosterona e coleta do encéfalo para dosagem de PGE² e PGD² As diferenças estatísticas entre os grupos foram analisadas pelo teste ANOVA two-way seguido por pós teste de Newman-Keuls, com o nível de significancia adotado de p <0,05. A administração de LPS provocou queda na PAM e aumento na FC. Tais respostas não foram afetadas pela administração prévia de citral. O LPS também induziu febre e aumento nas concentrações plasmáticas de interleucina - 6 (IL-6), óxido nítrico (NO), PGE² e corticosterona. Esses parâmetros não foram alterados pela préadministração de Citral. No entanto, o citral provocou redução na produção de PGD² na POA, sem alterar a de PGE² nesta região. Podemos concluir que o citral não previne as alterações nos parâmetroscardiovasculares no modelo de endotoxemia em ratos, porém reduz a produção de um mediador termorregulatório e inflamatório do sistema nervoso central (a PGD²), sem alterar a produção de outros mediadores inflamatórios a nível periférico (no plasma). Portanto, em um modelo mais agressivo de inflamação sistênica o citral não se mostrou suficiente para proteger o organismo das ações deletérias do LPS
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.03.2018
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BORGES, Gabriela Silva; BRANCO, Luiz Guilherme de Siqueira. Efeito do citral no choque endotoxêmico. 2018.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2018. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17134/tde-20072018-090749/ >.
    • APA

      Borges, G. S., & Branco, L. G. de S. (2018). Efeito do citral no choque endotoxêmico. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17134/tde-20072018-090749/
    • NLM

      Borges GS, Branco LG de S. Efeito do citral no choque endotoxêmico [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17134/tde-20072018-090749/
    • Vancouver

      Borges GS, Branco LG de S. Efeito do citral no choque endotoxêmico [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17134/tde-20072018-090749/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: