Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo da síntese translesão em Caulobacter crescentus (2018)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: ALVES, INGRID REALE - ICB
  • USP Schools: ICB
  • Sigla do Departamento: BMM
  • Subjects: DANO AO DNA; BACTERIOLOGIA MOLECULAR; BACTÉRIAS GRAM-NEGATIVAS; DNA POLIMERASES; MUTAÇÃO GENÉTICA; MUTAGÊNESE
  • Keywords: Caulobacter crescentus; Dano no DNA; DNA damage; ImuABC; ImuABC; Síntese translesão; Translesion DNA synthesis; Caulobacter crescentus
  • Language: Português
  • Abstract: Como é de suma importância a integridade da informação contida no DNA, este recebe proteção contra agentes danosos que podem prejudicar sua estrutura. Mesmo em caso de dano, a célula possui um grupo de proteínas que estão envolvidas na correção e mitigação destes danos. O primeiro grupo é um conjunto de proteínas envolvidas no reparo de DNA livre de erro. Caso estas proteínas não consigam minimizar os danos, outro conjunto de proteínas é expresso como uma alternativa ao reparo. Dentre estas, estão as DNA polimerases especializadas em usar uma fita de DNA danificada como molde para replicação. Este mecanismo possibilita à célula sobreviver aos danos potencialmente citotóxicos, às custas de mutagênese. Em bactérias, a reposta ao dano de DNA envolve um conjunto de proteínas que são expressas como parte da resposta SOS. Dentre elas estão enzimas envolvidas na síntese translesão (TLS). Diferentemente de Escherichia coli que possui três polimerases propensas a erro especializadas em TLS, Caulobacter crescentus possui um cassete mutagênico imuABC que está implicado na síntese de DNA usando como molde uma fita danificada. Neste trabalho, estudamos o mecanismo de TLS mediado por ImuABC nesta bactéria, e encontramos uma série de diferenças com o mecanismo de bypass realizado pela principal polimerase implicada em TLS em E. coli (Pol V). As proteínas ImuABC quando expressas em níveis máximos da resposta SOS não são capazes de aumentar as taxas de mutagênese espontânea. O produto dooperon imuABC, diferentemente da Pol V, não necessita de RecA para realizar TLS. Apenas a expressão destas proteínas em um background sem o gene recA já é suficiente para que ocorra a mutagênese induzida por UVC. Ao estudar a mutagênese como resposta ao dano de DNA induzido por radiação UVC em níveis genômicos em C. crescentus, notamos que a maioria das mutações encontradas está presente em regiões que possuem pirimidinas adjacentes que sabidamente são extremamente reativas à radiação UVC, levando à formação de fotoprodutos. Nossos dados sugerem que existe uma região no cromossomo circular de C. crescentus que é preferencialmente mutada, e este acúmulo de mutações pode ser consequência do reparo que acontece próximo à origem replicativa, deixando as mutações acumuladas próximas à região de término da replicação
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 12.04.2018
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ALVES, Ingrid Reale; GALHARDO, Rodrigo da Silva. Estudo da síntese translesão em Caulobacter crescentus. 2018.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/42/42132/tde-31072018-144941/ >.
    • APA

      Alves, I. R., & Galhardo, R. da S. (2018). Estudo da síntese translesão em Caulobacter crescentus. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/42/42132/tde-31072018-144941/
    • NLM

      Alves IR, Galhardo R da S. Estudo da síntese translesão em Caulobacter crescentus [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/42/42132/tde-31072018-144941/
    • Vancouver

      Alves IR, Galhardo R da S. Estudo da síntese translesão em Caulobacter crescentus [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/42/42132/tde-31072018-144941/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: