Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

A relação entre depressão e síndrome da fragilidade em idosos ambulatoriais do Serviço de Geriatria (2017)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: APRAHAMIAN, IVAN - FM
  • USP Schools: FM
  • Sigla do Departamento: MCM
  • Subjects: DEPRESSÃO; ANTIDEPRESSIVOS; IDOSOS; MORTE; PACIENTES INTERNADOS; ACIDENTES POR QUEDAS
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO: Os transtornos depressivos e a síndrome da fragilidade são tópicos importantes de interesse em geriatria. A relação entre depressão e fragilidade ainda é controversa, baseada em poucos estudos na literatura tanto em corte transversal como longitudinal. O estudo da depressão geriátrica assim como os possíveis efeitos adversos do uso de antidepressivos como fatores de risco para a fragilidade é ainda menos estudo. OBJETIVOS: Avaliar a associação entre depressão, uso de inibidores seletivos de recaptação de serotonina (ISRS) e fragilidade em pacientes idosos ambulatoriais, tanto em desenho transversal (baseline) quanto após observação de 12 meses; secundariamente, avaliar o risco de morte, hospitalização, quedas e perda funcional em idosos com depressão ou uso de IRSS em 12 meses de seguimento. MÉTODOS: Desenho tipo real-life study com análise observacional dos dados transversais e prospectivamente ao longo de 12 meses. A amostra foi composta por 811 idosos ambulatoriais em serviço de geriatria no início do estudo e 523 após completo 1 ano. A escala FRAIL foi utilizada para identificar a fragilidade e a escala de depressão geriátrica 15 itens (GDS-15) para quantificar sintomas depressivos. Os transtornos depressivos foram definidos como: depressão maior unipolar segundo o DSM-5, depressão menor com GDS-15 6 ou mais pontos e prejuízo social ou funcional secundário ao quadro.A associação entre as variáveis de interesse foi feito através de métodos lineares generalizados logísticos ou de Poisson. RESULTADOS: Os participantes foram caracterizados por idade média de 81,65 anos, 72,9% de mulheres, 18,7% de transtornos depressivos e 37,7% de frágeis. A prevalência de fragilidade foi diferente entre idosos deprimidos e controles (p = 0,001). Deprimidos usuários de ISRS apresentaram razão de chances de 2,82 (p < 0,001) para fragilidade Descritores: depressão; antidepressivos; idoso fragilizado; morte; hospitalização; acidente por quedas; idoso. no baseline e 2,92 em 12 meses (p = 0,001), e uma razão das taxas de incidência de 2,0 para quedas (p = 0,004) e 1,88 para perda funcional (p = 0,031). O uso de ISRS foi associado a uma razão de chances de 1,69 para fragilidade (p = 0,021) e uma razão das taxas de incidência de 1,75 para quedas (p = 0,037). CONCLUSÕES: A associação entre depressão e fragilidade foi significativa tanto no início como após 12 meses de observação. A depressão geriátrica parece consistir em fator de risco para o desenvolvimento de fragilidade
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.12.2017

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      APRAHAMIAN, Ivan. A relação entre depressão e síndrome da fragilidade em idosos ambulatoriais do Serviço de Geriatria. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.
    • APA

      Aprahamian, I. (2017). A relação entre depressão e síndrome da fragilidade em idosos ambulatoriais do Serviço de Geriatria. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Aprahamian I. A relação entre depressão e síndrome da fragilidade em idosos ambulatoriais do Serviço de Geriatria. 2017 ;
    • Vancouver

      Aprahamian I. A relação entre depressão e síndrome da fragilidade em idosos ambulatoriais do Serviço de Geriatria. 2017 ;