Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Fala sério: um aplicativo desenvolvido com jovens sobre suas necessidades de saúde (2018)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: LACHTIM, SHEILA APARECIDA FERREIRA - EE
  • USP Schools: EE
  • Subjects: JOVENS; NECESSIDADES E DEMANDA DE SERVIÇOS DE SAÚDE; PESQUISA-AÇÃO; EDUCAÇÃO; ENFERMAGEM; TECNOLOGIA
  • Keywords: Action research; Aplicativos móveis; Education; Health needs; Mobile applications; Nursing technology; Youth
  • Language: Português
  • Abstract: Resultados: O aplicativo foi denominado "fala sério" e apresenta como abas os seguintes temas eleitos pelos jovens: família, saúde mental (dividida em pressões e drogas), corpo e sexualidade. As oficinas foram analisadas de acordo com as categorias de análise: necessidades de reprodução social; necessidades de presença do Estado; e necessidades de participação social. Os jovens trouxeram à tona as seguintes categorias empíricas: as formas de enfrentamento das famílias das precárias formas de trabalhar e viver podem ser individualizadas ou coletivas; os jovens têm medo de não dar conta das pressões sociais, que supostamente viabilizariam seu futuro; o consumo de drogas é visto socialmente como a causa dos problemas dos jovens e a educação sobre drogas está desvinculada da realidade; educação sexual na escola é importante e a relação com a própria sexualidade é barrada por valores dominantes, principalmente machismo; as dificuldades sociais enfrentadas pelos jovens limitam suas possibilidades. A análise dos especialistas foi positiva para a maior parte dos conteúdos, destacando-se os conteúdos de família, pressões e drogas. Houve vários apontamentos para aperfeiçoamento dos conteúdos principalmente relativos às temáticas redução de danos, corpo e sexualidade, e ainda à dimensão técnico-operacional do aplicativo, como funções e interatividade. Conclusão: o aplicativo foi desenvolvido a partir das necessidades em saúde que mais preocupam o grupo de jovens participantes da pesquisa, o que indica serem as maiores dificuldades do grupo.O resultado deve refletir as dificuldades de outros grupos que vivem condições semelhantes de reprodução social; eles se referem principalmente a configurações familiares, que sofrem com empregos precários e desemprego, ausência ou inconstância de apoio paterno, ressocialização através da escola e processos de sociabilidade precários, expressos em desgastes como ansiedade, depressão, consumo problemático de drogas. Certas condições contemporâneas universalizantes e geracionais, que perpassam as classes sociais, permitirão também o uso do App por grupos de jovens em diferentes condições sociais. Nota-se com frequência a preocupação com a gravidez na adolescência, como caraterística de sociabilidade e socialização desse grupo. O processo educativo gerado pela pesquisa-ação emancipatória mostrou-se importante instrumento de desalienação. Os jovens se envolveram profundamente no processo de desenvolvimento do app e reivindicaram a continuidade das discussões.Introdução: Esta pesquisa toma como objeto o desenvolvimento de uma tecnologia de comunicação e informação, o app, como instrumento educativo para abordar as necessidades em saúde de jovens. A partir da saúde coletiva, toma como referência teórica, a concepção de juventude como categoria social, conforme determinada pelo modo de produção vigente e por suas necessidades de reprodução, que impõem aos jovens, das diferentes classes sociais, padrões de socialização recortados pelas necessidades de preparação para o mercado de trabalho. Tomou-se também como referência o conceito de necessidades em saúde como necessidades sociais, ou seja, como necessidades referidas às classes sociais. Objetivo: construir um app, de caráter educativo, relacionado às necessidades em saúde de jovens, considerando-se a perspectiva desses jovens. Método: Trata-se de investigação de natureza qualitativa, que utilizou a metodologia da pesquisa-ação emancipatória desenvolvida por vertente teórico-metodológica materialista histórica e dialética. O processo empregou 24 oficinas com 12 jovens do segundo grau de uma escola pública, do município de São Paulo, durante período de 5 meses, em 2017. Os jovens participantes envolveram-se porque estavam motivados pela temática; são provenientes de famílias da classe trabalhadora, cujos pais trabalham em ocupações que exigem pouca ou nenhuma qualificação profissional. O app desenvolvido com a participação dos jovens foi analisado por um painel de especialistas, a partir de instrumento padronizado.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.02.2018
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LACHTIM, Sheila Aparecida Ferreira; SOARES, Cassia Baldini. Fala sério: um aplicativo desenvolvido com jovens sobre suas necessidades de saúde. 2018.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7141/tde-05112018-152500/ >.
    • APA

      Lachtim, S. A. F., & Soares, C. B. (2018). Fala sério: um aplicativo desenvolvido com jovens sobre suas necessidades de saúde. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7141/tde-05112018-152500/
    • NLM

      Lachtim SAF, Soares CB. Fala sério: um aplicativo desenvolvido com jovens sobre suas necessidades de saúde [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7141/tde-05112018-152500/
    • Vancouver

      Lachtim SAF, Soares CB. Fala sério: um aplicativo desenvolvido com jovens sobre suas necessidades de saúde [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7141/tde-05112018-152500/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: