Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Pensamento crítico e emancipação: um estudo sobre a semiformação nos cursos técnicos (2018)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MARINS, ALEXANDRE RICARDO - FE
  • USP Schools: FE
  • Subjects: TEORIA CRÍTICA; ENSINO PROFISSIONAL E TÉCNICO
  • Keywords: Critical theory; Educação profissional; Emancipação; Emancipation; Halbbildung; Semiformação; Technical education; Teoria crítica
  • Language: Português
  • Abstract: trabalhador, fazendo-o se identificar com o que lhe é imposto e, assim, adaptar-se ao processo de dominação existente. Mesmo quando o estudante pensa sobre os danos causados pelas estruturas opressoras de trabalho, não deixa de se identificar com os valores predominantes da sociedade que impõe tais estruturas. Além disso, quando reflete sobre as atitudes pertinentes ao cotidiano das relações de trabalho, o jovem estudante das camadas populares, comumente, faz escolhas de valores morais identificados à lógica defendida pelo capital. Por fim, ao se posicionar sobre o sistema social vigente, o jovem estudante das camadas populares expressa valores indicativos de adaptação à ideologia dominante. Portanto, a formação que se presta a reproduzir esse sistema é, na verdade, uma semiformaçãoA educação assiste o desenvolvimento do fenômeno batizado por Adorno de semiformação, que expressa a consciência humana dominada pela comercialização e pela banalização dos bens culturais. Nos cursos técnicos, esse fenômeno tem características específicas por conta da lógica utilitarista, que instrumentaliza a educação em prol dos interesses do mercado de trabalho. Diante desse cenário, a presente pesquisa assumiu o compromisso de investigar a teoria da semiformação, elaborada pelos teóricos da Escola de Frankfurt, comparando-a com as ideias de formação e trabalho identificadas num grupo de estudantes de cursos técnicos do Centro Paula Souza, da cidade de Taubaté, em São Paulo. Para tanto, partiu do seguinte problema: como o fenômeno da semiformação se expressa no cotidiano escolar desses cursos? De certa forma, Adorno já aponta para esse problema ao evidenciar a ausência de posicionamento, na educação, em favor da emancipação. A hipótese defendida foi a de que a semiformação se expressa, sobretudo, nas ideias dos estudantes sobre a relação entre formação e trabalho. Para comprovar tal hipótese, optou-se por uma pesquisa empírica, de caráter qualitativo e exploratório, aplicada a partir de entrevistas realizadas através de respostas à Escala Formação e Trabalho, elaborada e validada pela professora Dra. Branca Maria de Meneses, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Como resultado, evidenciou-se o controle do mundo administrado, que regula a consciência do
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.06.2018
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MARINS, Alexandre Ricardo; SEVERINO, Antonio Joaquim. Pensamento crítico e emancipação: um estudo sobre a semiformação nos cursos técnicos. 2018.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-28112018-155613/ >.
    • APA

      Marins, A. R., & Severino, A. J. (2018). Pensamento crítico e emancipação: um estudo sobre a semiformação nos cursos técnicos. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-28112018-155613/
    • NLM

      Marins AR, Severino AJ. Pensamento crítico e emancipação: um estudo sobre a semiformação nos cursos técnicos [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-28112018-155613/
    • Vancouver

      Marins AR, Severino AJ. Pensamento crítico e emancipação: um estudo sobre a semiformação nos cursos técnicos [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-28112018-155613/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: