Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Caracterização clínica e imagiológica de pacientes com esclerose múltipla e associação com retrovírus endógeno da família W (2018)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: OLIVAL, GUILHERME SCIASCIA DO - IMT
  • USP Schools: IMT
  • Subjects: RETROVIRIDAE; HERPESVIRIDAE; ESCLEROSE MÚLTIPLA
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: A esclerose múltipla (EM) é uma doença inflamatória autoimune desmielinizante. Diversos estudos evidenciaram a forte associação entre a EM e a expressão do retrovírus endógeno da família W (HERV-W) e do Epstein Barr Vírus (EBV), sem definir seu real papel no desenvolvimento da doença. Objetivo: Investigar a presença de anticorpos anti EBV e a expressão de HERV-W em pacientes com EM e avaliar a correlação entre a atividade clínica e imagiológica da EM com a avaliação quantitativa do HERV-W e EBV. Métodos: Realizamos avaliações clínicas e de ressonância magnética (RM) por 36 meses de 36 pacientes com EM e a comparamos com a análise quantitativa longitudinal do PCR em tempo real do RNA do HERV-W em PBMC e uma análise transversal por ELISA do anti VCA IgG e IgM de EBV. Foram utilizados dois grupos controles sendo o primeiro com 30 indíviduos saudáveis e o segundo com 26 pacientes com outras doenças neurológicas (ODN) para comparação com os títulos de HERV-W e anti- EBV. Resultados: A dosagem do IgG EBV foi estatisticamente maior no grupo EM quando comparado ao grupo controle saudável (p = 0,024) e a expressão de HERV-W foi estatisticamente maior tanto no grupo EM (p = 0,001) como no grupo ODN (p = 0,022) quando comparados com os controles saudáveis nos grupos de pacientes. Nenhuma sorologia IgM do EBV foi positiva. A avaliação longitudinal da expressão relativa do HERV-W não apresentou correlação com nenhum dos parâmetros clínicos ou imagiológicos de avaliação da EM sendo eles: tipo de EM; medicamento em uso; EDSS; taxa anualizada de surtos; novas lesões em T2/FLAIR pela RM; lesões captando gadolíneo pela RM. Conclusão: Existe uma expressão relativa de HERV-W aumentada em pacientes com EM e em ODN quando comparados com controles saudáveis. Os pacientes com EM apresentam valores superiores de anticorpos IgG anti- EBV.Não encontramos nenhuma correlação na avaliação longitudinal entre a atividade clínica e imagiológica de pacientes com EM e a avaliação quantitativa do HERV-W e do anticorpo anti-EBV.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.11.2018

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OLIVAL, Guilherme Sciascia do; ROMANO, Camila Malta. Caracterização clínica e imagiológica de pacientes com esclerose múltipla e associação com retrovírus endógeno da família W. 2018.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.
    • APA

      Olival, G. S. do, & Romano, C. M. (2018). Caracterização clínica e imagiológica de pacientes com esclerose múltipla e associação com retrovírus endógeno da família W. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Olival GS do, Romano CM. Caracterização clínica e imagiológica de pacientes com esclerose múltipla e associação com retrovírus endógeno da família W. 2018 ;
    • Vancouver

      Olival GS do, Romano CM. Caracterização clínica e imagiológica de pacientes com esclerose múltipla e associação com retrovírus endógeno da família W. 2018 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: