Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Metrics


Metrics:

Qual guia de comunicação na consulta médica é o mais adequado para o ensino de habilidades comunicacionais na atenção primária à saúde brasileira? (2018)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: RIOS, IZABEL CRISTINA - FM
  • USP Schools: FM
  • DOI: 10.1590/1981-52712015v42n2rb20170138
  • Subjects: ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE; COMUNICAÇÃO; COMUNICAÇÃO EM SAÚDE; BRASIL
  • Language: Português
  • Abstract: RESUMO Introdução O uso de habilidades de comunicação está associado a desfechos positivos na consulta médica e no cuidado à saúde, como melhora da adesão aos tratamentos, da satisfação de médicos e pacientes, e da relação entre eles. Isto é ainda mais significativo na Atenção Primária à Saúde (APS), que é um espaço de cuidado integral de saúde. Uma comunicação efetiva é aquela em que todos os participantes interagem de modo a trocar informações e em que, ao final, todas as partes tenham o mesmo entendimento sobre o problema, acordem sobre as medidas a tomar e se sintam entendidas em suas necessidades. Para que este tipo de comunicação aconteça, o ensino dessas habilidades deve ocorrer de forma adequada e contínua, durante toda a formação médica. Até o momento, não existe um instrumento brasileiro que cumpra esta finalidade. No Brasil, têm-se utilizado guias internacionais para este ensino. No entanto, dos guias mais usados internacionalmente e mais citados na literatura da área, nenhum é completamente adequado à realidade da APS brasileira. Objetivo Comparar quatro instrumentos de habilidades de comunicação frequentemente utilizados, tendo em vista os aspectos que caracterizam a APS nacional. Metodologia Os guias foram descritos, analisados qualitativamente e comparados quanto às seguintes categorias: estrutura do guia, criação do guia, etapas importantes da consulta e foco no médico. Análise: Os instrumentos diferem quanto a facilidadede uso, foco no ensino de APS, discussão de etapas importantes da consulta e foco no médico; todos discutem a construção de planos compartilhados e nenhum tem uma tradução validada para português do Brasil. Conclusão Dos quatro guias estudados, “A Consulta em 7 em Passos” tem o melhor perfil de uso para a APS nacional. No entanto, recomenda-se a criação de um guia brasileiro para estruturar, homogeneizar e facilitar o ensino das habilidades de comunicação nas escolas médicas do País
  • Source:
  • Acesso online ao documento

    Online accessDOI or search this record in
    Informações sobre o DOI: 10.1590/1981-52712015v42n2rb20170138 (Fonte: oaDOI API)
    • Este periódico é de acesso aberto
    • Este artigo é de acesso aberto
    • URL de acesso aberto
    • Cor do Acesso Aberto: gold
    • Licença: cc-by

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CAMPOS, Carlos Frederico Confort; RIOS, Izabel Cristina. Qual guia de comunicação na consulta médica é o mais adequado para o ensino de habilidades comunicacionais na atenção primária à saúde brasileira? Revista brasileira de educação médica[S.l.], v. 42, n. 3, p. 108-118, 2018. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1590/1981-52712015v42n2rb20170138 > DOI: 10.1590/1981-52712015v42n2rb20170138.
    • APA

      Campos, C. F. C., & Rios, I. C. (2018). Qual guia de comunicação na consulta médica é o mais adequado para o ensino de habilidades comunicacionais na atenção primária à saúde brasileira? Revista brasileira de educação médica, 42( 3), 108-118. doi:10.1590/1981-52712015v42n2rb20170138
    • NLM

      Campos CFC, Rios IC. Qual guia de comunicação na consulta médica é o mais adequado para o ensino de habilidades comunicacionais na atenção primária à saúde brasileira? [Internet]. Revista brasileira de educação médica. 2018 ; 42( 3): 108-118.Available from: http://dx.doi.org/10.1590/1981-52712015v42n2rb20170138
    • Vancouver

      Campos CFC, Rios IC. Qual guia de comunicação na consulta médica é o mais adequado para o ensino de habilidades comunicacionais na atenção primária à saúde brasileira? [Internet]. Revista brasileira de educação médica. 2018 ; 42( 3): 108-118.Available from: http://dx.doi.org/10.1590/1981-52712015v42n2rb20170138

    Referências citadas na obra
    Autor: Starfield B
    Título: Is primary care essential?
    Título do periódico: Lancet
    Volume: 344
    Fascículo: 8930
    Primeira página: 1129
    Ano: 1994
    DOI: 10.1016/S0140-6736(94)90634-3
    Autor: Kurtz S
    Ano: 2005
    Autor: Merhy EE
    Ano: 2005
    Autor: Rider EA
    Título: Communication skills competencies: definitions and a teaching toolbox
    Título do periódico: Med Educ
    Volume: 40
    Fascículo: 7
    Primeira página: 624
    Ano: 2006
    DOI: 10.1111/j.1365-2929.2006.02500.x
    Autor: Langewitz W
    Título: Spontaneous talking time at start of consultation in outpatient clinic: cohort study
    Título do periódico: BMJ
    Volume: 325
    Fascículo: 7366
    Primeira página: 682
    Ano: 2002
    DOI: 10.1136/bmj.325.7366.682
    Autor: Jansen KL
    Título: The State of Communication Education in Family Medicine Residencies
    Título do periódico: Fam Med
    Volume: 48
    Fascículo: 6
    Primeira página: 445
    Ano: 2016
    Autor: Stewart M
    Título: The impact of patient-centered care on outcomes
    Título do periódico: J Fam Pract
    Volume: 49
    Fascículo: 9
    Primeira página: 796
    Ano: 2000
    Autor: Rios IC
    Título: Comunicação em Medicina
    Título do periódico: Revista de Medicina
    Volume: 91
    Fascículo: 3
    Ano: 2012
    Autor: Maguire P
    Título: Key communication skills and how to acquire them
    Título do periódico: BMJ
    Volume: 325
    Fascículo: 7366
    Primeira página: 697
    Ano: 2002
    DOI: 10.1136/bmj.325.7366.697
    Autor: Van Dalen J
    Título: Teaching and assessing communication skills in Maastricht: the first twenty years
    Título do periódico: Med Teach
    Volume: 23
    Fascículo: 3
    Primeira página: 245
    Ano: 2001
    DOI: 10.1080/01421590120042991
    Autor: Silverman J
    Ano: 2016
    Autor: Makoul G
    Título: The SEGUE Framework for teaching and assessing communication skills
    Título do periódico: Patient Educ Couns
    Volume: 45
    Fascículo: 1
    Primeira página: 23
    Ano: 2001
    DOI: 10.1016/S0738-3991(01)00136-7
    Autor: Van Thiel J
    Ano: 2000
    Autor: Ramos V
    Ano: 2008
    Ano: 2014
    Autor: Varga CRR
    Título: Relato de experiência: o uso de simulações no processo de ensino-aprendizagem em medicina
    Título do periódico: Revista Brasileira de Educação Médica
    Volume: 33
    Primeira página: 291
    Ano: 2009
    DOI: 10.1590/S0100-55022009000200018
    Autor: Kurtz S
    Título: Marrying content and process in clinical method teaching: enhancing the Calgary-Cambridge guides
    Título do periódico: Acad Med
    Volume: 78
    Fascículo: 8
    Primeira página: 802
    Ano: 2003
    DOI: 10.1097/00001888-200308000-00011
    Autor: Schirmer JM
    Título: Assessing communication competence: a review of current tools
    Título do periódico: Fam Med
    Volume: 37
    Fascículo: 3
    Primeira página: 184
    Ano: 2005
    Autor: Coelho PS
    Ano: 2007
    Autor: Makoul G
    Ano: 2005
    Autor: Miranda AAA
    Ano: 2015
    Autor: Carrió FB
    Ano: 2009
    Autor: Silva LMG
    Título: Comunicação não-verbal: reflexões acerca da linguagem corporal
    Título do periódico: Revista Latino-Americana de Enfermagem
    Volume: 8
    Primeira página: 52
    Ano: 2000
    DOI: 10.1590/S0104-11692000000400008
    Ano: 2010
    Autor: Vidal TB
    Ano: 2013