Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Perfil do paciente hipertenso atendido em pronto-socorro: comparação com hipertensos em tratamento ambulatorial (2001)

  • Autores:
  • Autores USP: SOUZA, CRISTIANE GARCIA SANCHEZ E - EE
  • Unidades USP: EE
  • Sigla do Departamento: ENC
  • Assuntos: DOENÇAS CARDIOVASCULARES (EPIDEMIOLOGIA); HIPERTENSÃO
  • Idioma: Português
  • Resumo: Os pacientes hipertensos muitas vezes não realizam o tratamento corretamente levando à falta de controle da doença e atendimentos em unidade de emergência. O objetivo deste estudo foi descrever e comparar o perfil de hipertensos atendidos em pronto socorro com aqueles seguidos em ambulatório quanto a características biossociais, hábitos de vida, conhecimento sobre a doença, tratamento e níveis de pressão arterial. Foram entrevistados 100 hipertensos atendidos no pronto socorro e 100 em acompanhamento ambulatorial no Hospital Universitário da Universidade de São Paulo (62% mulheres, 58 '+ OU -' 11 anos, 71% brancos, 64% com primeiro grau incompleto, 53% com ocupação manual não especializada, 53% com renda inferior a 5 salários mínimos e 53% não pertencentes à comunidade do hospital). Os hipertensos do pronto socorro foram significativamente diferentes (p<0,05) dos pacientes de ambulatório em relação a: pressão arterial mais elevada (174+27/109'+ OU -' 18 vs 143+20/88'+ OU -' 12 mm Hg); menor renda salarial; não pertencentes à comunidade do hospital (84% vs 23%); maior consumo de bebida alcoólica (92 vs 17 g de etanol/dia); descobriram ser hipertensos por sentir-se mal (60% vs 45%); mediam menos a pressão arterial (78% vs 96%); deixaram mais de tomar os remédios (44% vs 23%); e as mulheres usavam menos hormônio anticoncepcional (3% vs 16%). Os pacientes do ambulatório citaram mais dislipidemia (41%) como outros problemas de saúde, enuanto que para os do prontosocorro foram diabetes (42%), problemas cardíacos (19%) e hipertireoidismo (11%). O conhecimento sobre a doença e o tratamento não foi diferente entre os hipertensos do pronto socorro e ambulatório. Concluindo, as características desfavoráveis podem contribuir para que hipertensos não realizem tratamento anti-hipertensivo adequadamente, levando a atendimentos em unidades de emergência
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 13.02.2001

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EE10200005486T1950
    Como citar
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANCHEZ, Cristiane Garcia; PIERIN, Angela Maria Geraldo. Perfil do paciente hipertenso atendido em pronto-socorro: comparação com hipertensos em tratamento ambulatorial. 2001.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.
    • APA

      Sanchez, C. G., & Pierin, A. M. G. (2001). Perfil do paciente hipertenso atendido em pronto-socorro: comparação com hipertensos em tratamento ambulatorial. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Sanchez CG, Pierin AMG. Perfil do paciente hipertenso atendido em pronto-socorro: comparação com hipertensos em tratamento ambulatorial. 2001 ;
    • Vancouver

      Sanchez CG, Pierin AMG. Perfil do paciente hipertenso atendido em pronto-socorro: comparação com hipertensos em tratamento ambulatorial. 2001 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: